Atlético-GO 0 x 0 Ponte Preta: sem imaginação e criatividade fica dificil pensar no acesso

2
314 views

Em jogo de baixo nível técnico e sem oportunidades, a Ponte Preta colheu empate sem gols contra o Atlético-GO em jogo realizado nesta segunda-feira no estádio Antonio Accioly e válido pela Série B do Campeonato Brasileiro. O resultado deixou a alvinegra com 40 pontos, mas  distante da zona de classificação. O passo seguinte será contra o Bragantino, sábado, no Majestoso.

Ao entrar em campo e com necessidade de vitória, a Ponte Preta tratou de encontrar formas de explorar o seu principal talento, o armador Renato Cajá. Marquinhos ficou posicionado como um armador e assim liberou o camisa 10 pontepretano para atuar como um atacante. Sua intenção era acionar o centroavante Roger por intermédio de suas infiltrações. Não adiantou.

O Dragão posicionou tanto Jairinho como Jorginho para abrirem espaços pelo meio e com rotatividade para prender os volantes. Mike, por sua vez, era o velocista que incomodava Guilherme Guedes, mas que não saia a direção do ataque.

Os lances de perigo foram escassos, mas em boa parte do tempo, a Macaca foi dominada pelo oponente e quase não teve como sair para o contra-ataque.

No segundo tempo, a Macaca tentou sair da armadilha e utilizava Cajá para os lançamentos em profundidade. Em um desses lampejos, Roger recebeu e impedimento equivocado foi marcado.

Em contrapartida, a Macaca dava espaço e o Atlético-GO ameaçava, como em conclusão de Moacir e que Ygor Vinhas surgiu para espalmar para fora. Por questão física, Renato Cajá precisou ser retirado por questão física. Mesmo assim, Roger teve uma boa oportunidade, mas não conseguiu concluir.

O sufoco não terminava. Tanto que a velocidade ficou maior com a entrada de Matheuzinho e que teve uma abertura ao receber dentro da área e bater fraco e facilitar a intervenção de Ygor Vinhas.

Nos minutos finais, o time goiano pressionou, mas o empate sem gols retratou a falta de imaginação reinante no gramado. A Ponte Preta jogou com: Ygor Vinhas; Diego Renan, Renan Fonseca, Airton e Guilherme Guedes; Washington, Camilo (Aaros), Renato Cajá (Gerson Magrão) e Lucas Mineiro (Edson); Marquinhos e Roger.

2 Comentários

  1. Time só mostra que quer permanecer deu dois chutes no gol em mais de 90 minutos,muito pouco,aliás depois que o Gilson Kleina chegou e só isso mesmo.
    Fora Kleina!!!

  2. Não é toda vez que o milagre acontece, o pecador não faz o que devia, recebe um milagre e por covardia( Na ultima partida o time jogou como se a qualquer momento o adversário fizesse o gol que estavam precisando.) não reconhece e continua no inferno, eis que vivendo naquele martírio mas agora com um pouco mais de recursos mas mesmo assim cometendo os mesmos pecados ele se acha no direito de pedir uma nova graça e o que acontece, se de por satisfeito de passar dos 45 pontos e não ter vivido no Z4 e é tudo o que merece este pecador que não se corrige.

Deixe Um Comentário