A trajetória de Vitória Camile, a revelação da Ponte Preta que chegou a Seleção Brasileira

0
1.214 views

Apesar da péssima campanha na Série A-1 do Campeonato Brasileiro de futebol feminino, a Ponte Preta comemora nesta quarta-feira, dia 02 de setembro, a convocação de Vitória Camile, 17 anos, para a Seleção Brasileira de Futebol Feminino.

A atleta foi selecionada entre as 13 atletas que, sob o comando do técnico Jonas Urias,  servirão o selecionado na Fase de Preparação para as finais do Sul-Americano Feminino SUB20.

Pelo cronograma estabelecido, Vitória Camile vai participar de uma competição que terá as presenças de Brasil, Uruguai, Venezuela e Colômbia e acontecerá em novembro na Argentina. Os dois melhores colocados vão representar a Conmebol na próxima Copa do Mundo FIFA Feminina SUB20, que será disputada na Costa Rica, em de 20 de janeiro a 6 de fevereiro de 2021.

Qual a história de Vitória Camile ? Como chegou na Macaca e tornou-se destaque no Brasileirão feminino? Para entender o processo é preciso ouvir o professor de Educação Física, Carlos Alberto Myasada, o Maguila, que há mais de 25 anos coordena o trabalho de futebol feminino do Clube Bonfim, parceira da Ponte Preta no futebol feminino. “É com orgulho que vejo tal situação. Isso comprova a força do projeto que é realizado há 25 anos. E não é primeira goleira convocada”, afirmou Maguila, que enumera ainda atletas que passaram por sua orientação, como Aline Reis.

Ele conta que a trajetória de Vitória Camile começou como outras atletas que foram para o gol. Anteriormente talhada para atuar na linha, em certo dia, o time precisou de uma goleira para completar o time. Camile Não saiu mais. “Eu via a Vitória divertindo-se no grupo e pedi para ela atuar no gol. Prontamente ela se apresentou”, contou Maguila. Ele descreve que a participação no futebol de campo e no futsal foi fundamental para viabilizá-la como atleta de alto rendimento. “A Ponte Preta viu a força do Futebol Feminino Campinas e fizemos a parceria e também nas categorias de base em que foram 12 troféus. E a Camile participou”, disse Maguila.

Maguila alerta que Camile chegou ao time profissional devido ao seu potencial e a escassez de jogadoras na posição no elenco pontepretano. “A Vitória evoluiu e mesmo com todas as dificuldades as meninas não tem medo. Elas querem batalhar. E o pessoal da Seleção Brasileira observou”, completou Maguila.

A parceria vem desde a época da antiga diretoria comandada pela ex-presidente José Armando Abdalla Junior e que fez o convênio por intermédio pelo departamento social, que na época era comandado por André Carelli. O projeto teve o auxilio de Jaime Tadao Maruyama e de Tadeu Vio para virar realidade na Macaca. Hoje, o futebol feminino da Macaca está submetido as categorias de base, que colhe um triunfo saboroso com a ascensão de Camile Vitória.

(Elias Aredes Junior)