Análise: um hipotético acesso á Série B livrará Horley Senna de todas as críticas no Guarani?

0
823 views

Com boa campanha na Série C do Campeonato Brasileiro, sem conhecer o gosto da derrota e na liderança do grupo B. Não há como negar que a fase é boa no Guarani. O trabalho de Marcelo Chamusca é elogiado e não recebe  contestação. Dá esperança de pelo menos terminar entre os quatro primeiros e fazer a torcida bugrina sonhar com o acesso, algo que sequer foi obtido nas últimas três edições. Fica a pergunta: digamos que o olimpo seja alcançado e 2017 seja o ano de retorno à Série B. Horley Senna será absolvido?

Faço tal questionamento porque um simples passeio pelas redes sociais faz com que seja vislumbrado o papel de Judas Iscariotes desempenhado pelo atual presidente. Criticas, xingamentos e ofensas fazem parte do cardápio daqueles que frequentam as arquibancadas. Fácil encontrar alguém determinado até a pedir a sua cabeça. E convenhamos: com atitudes intempestivas e inconsequentes desde o começo do mandato, o sentimento em parte das arquibancadas é justificado.

Até pelo histórico recente, é fácil entender. Horley Senna prometeu que conseguiria uma das duas vagas na Série A-2 do Paulistão. Não obteve a qualificação sequer entre os oito primeiros. Ficou fora da festa. Horley Senna também destilou palavras de otimismo com a chegada de Pintado para o lugar de Paulo Roberto. Acreditou na classificação da Série C do ano passado. Quebrou a cara.

Isso sem contar pessoas influentes que ainda estão reticentes e contrários a negociação feita com a Magnum por intermédio da Justiça Trabalhista e que permitirá a entrega do Brinco de Ouro a Roberto Graziano em troca de novo estádio, Centro de Treinamento e pagamento das dívidas trabalhistas. Também devemos relembrar o protesto de oposicionistas que não se conformam com a perda de espaço dentro da vida política do clube.

Já vi pessoas influentes na vida política do Clube afirmarem que não tem jeito. Se conseguir o acesso, tudo será esquecido porque vitória é o único objetivo do torcedor. Objetivo alcançado, isenção concedida.

No entanto, fico em dúvida ao perceber uma quantidade relevante de críticos ao trabalho de Horley Senna. Gente com disposição de reclamar, denunciar e criticar mesmo com a melhoria no gramado. Grupos dispostos a provarem que a época do torcedor alienado, sem opinião e desfocado dos problemas do clube está terminado.

Em cenário tão complexo ouso dizer: Horley Senna terá que comprovar seu valor e capacidade até o último dia de seu mandato. Independente daquilo que acontecer no gramado.

(análise feita por Elias Aredes Junior- Foto de Rodrigo Villalba-Memory Press)