terça-feira , 21 agosto 2018
Home / Destaque / Após bater na trave em quatro oportunidades, Guarani inicia Série A2 em busca de feito inédito

Após bater na trave em quatro oportunidades, Guarani inicia Série A2 em busca de feito inédito

Foram quatro tentativas e quatro eliminações ainda na primeira fase. Guarani e Série A2 convivem juntos desde 2014 e o Bugre tenta, pela primeira vez nos últimos quatro anos, passar da primeira fase e tentar um final feliz na competição.

No primeiro ano desde a queda na elite em 2013, o Bugre terminou longe do G4. Na temporada de 2014, o time aproveitou apenas 38% dos pontos disputados e terminou com mais derrotas do que vitórias.

Já em 2015, ainda com o sistema de G4, o aproveitamento melhorou, mas a colocação não. O time alviverde terminou a competição com 32 pontos na 8ª colocação e bateu na trave pelo segundo ano consecutivo.

Na temporada de 2016, com Pintado, o começo empolgou, mas o filme foi repetido. A diferença é que, naquela ocasião, oito times se classificavam para o mata-mata e nem assim o Guarani conseguiu sair da primeira fase. Com 27 pontos em 19 jogos, o Bugre terminou na 9ª colocação e foi eliminado por tropeçar contra times que estavam na zona de rebaixamento.

Na última temporada foram três técnicos e a mesma decepção aos torcedores. Ney da Matta, Barbieri e Vadão não conseguiram êxito no Estadual e deixaram o Guarani na 6ª colocação – o sistema voltou ao ser o G4, mas apenas dois subiram -, com 52% de aproveitamento dos pontos. Foram oito vitórias, seis empates e cinco derrotas na competição.

A tarefa de 2018 caiu sob responsabilidade do efetivado Umberto Louzer. Ele estava na comissão técnica da Série A2 do ano passado e precisará levar o Bugre até as finais para conseguir o tão sonhado acesso dos últimos cinco anos.

(texto e reportagem: Júlio Nascimento/foto: GuaraniPress)

Veja Também

Casa cheia: Ponte Preta atualiza parcial de ingressos vendidos para o dérbi

A Ponte Preta atualizou na noite desta segunda-feira o número de ingressos vendidos para o ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *