Diretoria Executiva da Ponte Preta rebate membro da mesa do Conselho Deliberativo e explica tentativa de agressão contra presidente

1
510 views

Ainda nesta noite de segunda-feira, a diretoria executiva da Ponte Preta anunciou uma nota de repudio para descrever os acontecimentos desta segunda-feira. O texto também critica o vice-presidente Pedro Maciel Neto. Confira a íntegra do comunicado:

“A Diretoria Executiva lamenta os fatos ocorridos na tarde desta segunda feira, dia 21/10/2019, quando o presidente José Armando Abdalla Junior foi alvo de agressões verbais e teve o veículo atacado e danificado por membros de uma torcida organizada que queria a aprovação irregular de fichas do quadro de conselheiros do clube. Trata-se de uma ação política, truculenta e de uma brutalidade inédita, para a qual não há justificativa e contra a qual estão sendo tomadas as medidas necessárias, inclusive junto às autoridades policiais.

Cabe esclarecer que para se tornar conselheiro/associado da AAPP, o pretendente deve comparecer à secretaria do clube e, além de preencher a ficha de adesão, esta deve ser endossada por um conselheiro/associado. Ocorre que, para a surpresa da Diretoria Executiva, as fichas de nº 101 a 500 “sumiram” da secretaria do clube. Considerando a importância destes documentos e que, internamente, por anos é praticada a guarda e manutenção deles dentro da secretaria, as fichas em questão foram canceladas assim que se identificou o extravio e perderam seu valor funcional.

Curiosamente, contudo, no último dia 17 de outubro de 2019 o vice-presidente do Conselho Deliberativo, Pedro Benedito Maciel, apresentou na secretaria várias fichas desta sequência que se extraviou e foi cancelada. Estranhamente, estas fichas não foram preenchidas dentro da secretaria do clube, como é praxe, e também de maneira bizarra vieram previamente aprovadas pelo Presidente do Conselho, Tagino Alves Santos, o qual não comparece ao clube há mais de vinte dias por alegado e divulgado afastamento médico.

Causa espanto ver o vice-presidente do Conselho Deliberativo, dentro da envergadura e estatura de seu cargo, agir como “ofice boy” no transporte de fichas extraviadas que, até o presente momento, não tinham paradeiro conhecido. Também é de deixar pasmo o fato de que há outras fichas preenchidas dentro do padrão correto estipulado há muitos anos pela AAPP que estão aguardando a pré-aprovação pela Mesa do Conselho há tempos (algumas destas protocoladas em 20 de setembro de 2019) e, contudo, em nenhum momento o prestativo vice se ofereceu para transportar estas ou deliberar sobre elas.

Há de se destacar ainda que, por um ato arbitrário da Mesa do Conselho, foi subtraída do procedimento de admissão dos associados/conselheiros a participação da Diretoria Executiva na admissão dos pretendentes ao conselho/quadro associativo, em desrespeito claro ao artigo 63, inciso XI, do estatuto social da AAPP.

Desta forma, todas as fichas preenchidas de maneira irregular, extraviadas ou sem observância do artigo 63, inciso XI, foram devidamente canceladas. Foi este o fato este que gerou revolta de algumas pessoas que estavam exigindo sua entrada no quadro associativo de forma irregular, arbitrária e violenta, em total desrespeito não só à pessoa do presidente, mas também e principalmente à instituição.

Quanto às alegações do Vice Presidente do Conselho Deliberativo de que Abdalla Júnior não o atendeu e que também não foi agredido nem ofendido, tal falácia beira ao absurdo. Pois como poderia Abdalla atender Pedro Benedito junto ao grupo que seguia o presidente do Conselho naquele momento, querendo forçar com os punhos uma situação irregular?

As imagens do circuito interno da Ponte Preta já foram levantadas e serão apresentadas às autoridades competentes, inclusive para a própria Mesa do Conselho, para que avalie possível infração estatutária de quebra de decoro.

Quanto aos pretendentes a Associado/Conselheiro que tiveram suas fichas canceladas, os mesmos serão notificados e posteriormente poderão, se desejarem, realizar a sua adesão de forma correta na secretaria do clube e não, supostamente, assinarem fichas em eventos públicos ou churrascos particulares estranhos à instituição.

Deixamos claro que Associação Atlética Ponte Preta é um clube agregador e apartidário, onde qualquer pessoa poderá requerer sua associação sem distinção de etnia, religião, classe social etc, contudo para isso terá que respeitar os procedimentos que foram legalmente implementados desde 1996.

Por fim, reiteramos que a nota publicada pelo Vice Presidente do Conselho Deliberativo nas redes sociais e nos órgãos de imprensa não condiz com a realidade e novamente busca distorcer fatos e se colocar sob holofotes por meio de publicidade equivocada. Mais uma vez, utiliza-se de fakenews para tentar privilegiar um determinado grupo político, o qual lhe acompanhava no momento do ocorrido, atuação esta também do Presidente do Conselho.

Diretoria Executiva da Ponte Preta”

1 Comentário

  1. Será que não poderiam mudar o estatuto da Ponte e contratar uma empresa profissional para cuidar da gestão do futebol? Essa diretoria e o conselho envergonham a torcida e não sabem gerir o futebol, principalmente de um time do tamanho da Ponte.

Deixe Um Comentário