quinta-feira , 20 julho 2017
Home / Destaque / Efeito Auremir: sem o volante, aproveitamento do Guarani cai quase pela metade

Efeito Auremir: sem o volante, aproveitamento do Guarani cai quase pela metade

Que Auremir é uma das principais referências do elenco do Guarani, disso ninguém tem dúvida. E a importância do camisa 5 para o time fica ainda mais explícita quando se analisa os números da equipe quando ele está em campo e quando ele está fora. Com Auremir, o aproveitamento é de 63%, sem o volante, esses números caem quase pela metade, ficando em 33,3%. E Vadão terá que se mexer rapidamente, já que o atleta está pendurado com dois cartões amarelos e pode ficar suspenso em qualquer momento.

Auremir ganhou a titularidade no Guarani na Série C de 2016. Chegou para ser reserva de Zé Antônio, mas como o primeiro não agradou, assumiu a vaga por ter a confiança de Marcelo Chamusca. Com ele, o Bugre conquistou 65% dos pontos disputados na competição. Na ausência do camisa 5, a equipe empatou com Tombense (1×1), Portuguesa (0x0) e Ypiranga (2×2).

Em 2017, na Série A2, se ausentou apenas no jogo contra o Mogi Mirim. A equipe estava embalada de oito partidas sem perder no Estadual e crescendo na competição, mas acabou sendo derrotada por 1 a 0. E na Série B, eram 15 pontos de 21 disputados, com o segundo lugar na tabela, mas no jogo que Vadão resolveu poupá-lo, o Bugre perdeu para o Criciúma por 3 a 2.

TIME DESCOMPASSADO
Taticamente, a presença de Auremir no Guarani é fundamental por ser a proteção da equipe em frente ao lento sistema defensivo. O segundo gol na derrota para o Criciúma ilustra o problema da falta de proteção. Denner, que substituiu o camisa 5, não tem características de marcação e deu liberdade para Bruno Moreira avançar. Sem o primeiro volante, um dos zagueiros precisou sair na cobertura e desprotegeu a área.

O técnico Vadão utiliza dois jogadores com forte marcação – como Auremir e Evandro, justamente para fortalecer a cobertura da defesa. Genilson e Diego Jussani não são jogadores de movimentação e depender exclusivamente dos laterais para brecar o ataque adversário é uma tática arriscada. Evandro atua um pouco mais a frente para tentar o desarme ainda na construção da jogada, mas Auremir geralmente fica com o adversário mais habilidoso para impedir a progressão dos ataques.

Fato é que Auremir volta na próxima rodada para a partida contra o Oeste, mas o técnico Vadão já começa a pensar em soluções e alternativas para alguns jogadores do elenco. Quem pode enriquecer a qualidade do grupo neste setor é Richarlyson, mas com problemas na documentação ainda não sabe se ele terá condições para o jogo de terça-feira, no Brinco.

(texto e reportagem: Júlio Nascimento)

Veja Também

lorran

Após saída frustrada, Lorran perde espaço e vai ao fim da fila no Guarani

De opção de segurança na Série A2 a última alternativa nas jogadas de velocidade do ...

3 Comentários

  1. Júlio, você foi “cirúrgico” com essa matéria. O Auremir é importantíssimo no esquema do Vadão, pois ele além de marcar o articulador de jogadas ofensivas do time adversário, tem a velocidade para fazer a transição da defesa para o ataque. No último jogo, ficou uma brecha no meio de campo, justamente pelo fato do Denner não ter as mesmas características do Auremir. Acho que o Denner pode render mais atuando como um terceiro volante, jogando mais centralizado, pois ele tem o passe vertical.

    Na minha opinião, o jogador que se aproxima da característica do Auremir é o Lennon. Apesar dele ter se firmado na lateral direita, o Vadão poderia estudar uma possibilidade de trazer o Lennon para o meio e promover o Kevin na lateral direita, numa ausência do Auremir.

  2. Parabéns pela análise.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *