sábado , 15 dezembro 2018
Home / Destaque / Gilson Kleina perto de virar herói. Longe de ser uma lenda no banco de reservas da Ponte Preta

Gilson Kleina perto de virar herói. Longe de ser uma lenda no banco de reservas da Ponte Preta

Nas conversas com torcedores e jornalistas esportivos de Campinas, o assunto emerge de modo forte. A arrancada da Ponte Preta e de Gilson Kleina na reta final da Série B do Campeonato Brasileiro e um possível acesso acendem o debate de qual é o lugar do “bruxo” na história.

Nesta década não tem para ninguém. Nem Jorginho e o vice-campeonato da Sul-Americana podem almejar o cetro. Kleina tem como saldo um acesso na Série B em 2011, uma semifinal de Campeonato Paulista no ano seguinte e vice-campeão paulista em 2017. Aspecto negativo? A saída tumultuada para o Palmeiras em 2012 e o desempenho ruim no brasileirão do ano passado. Mesmo assim, nem Guto Ferreira iguala  em desempenho e carisma.

No entanto, considero precipitado apontá-lo como um dos melhores dos 118 anos da trajetória da agremiação. No atual século, temos Nelsinho Baptista, com as semifinais do Paulistão e da Copa do Brasil de 2001, Abel Braga e sua luta épica pela permanência no Brasileirão de 2003 e Oswaldo Alvarez, com boas campanhas em brasileiros e responsável direto pela quebra do tabu de 15 anos da vitória da Macaca sobre o seu principal rival. São feitos respeitáveis.

Quando a história da Macaca entra em campo, o quadro fica delicado. Zé Duarte foi campeão da divisão especial em 1969 e vice-campeão paulista em 1977 e 1979, cuja base é eleita como a melhor da Macaca em todos os tempos. Sem contar Cilinho, com 345 jogos e autor de boas campanhas.

Caso venha o acesso, kleina será o herói. Com justiça. Mas muita coisa precisa acontecer para que ele seja igualado a deuses que sentaram no banco de reservas.

(análise feita por Elias Aredes Junior)

Veja Também

Uma pergunta que não quer calar: Abdalla administra para Ponte Preta ou Vanderlei Pereira? Entenda os motivos.

Na atual temporada, a Ponte Preta viveu um constante terremoto político. Sérgio Carnielli entrou em ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *