segunda-feira , 15 outubro 2018
Home / Destaque / Guarani: para conseguir o acesso, não adianta só fazer o trivial

Guarani: para conseguir o acesso, não adianta só fazer o trivial

Toda vitória é importante na Série B do Campeonato Brasileiro. Somar três pontos, na parte inicial de um campeonato por pontos corridos, é o passaporte para uma campanha tranquila ou a luta pelo acesso. Ainda não temos o complemento da rodada, mas os seis pontos do Guarani podem ser suficientes para colocá-lo na zona intermediária.

Se fosse no ano passado, a torcida estaria satisfeita. A manutenção era o pico do pódio. Dessa vez é diferente. Com a conquista do título da Série A-2 do Paulistão, muitos sonhavam com a primeira divisão em 2019. O que lhe daria recursos robustos, inclusive oriundos do Esporte Interativo, cujo contrato já foi assinado mas os recursos só passariam a existir com o Guarani na Série A. Para chegar ao olimpo, será preciso muito mais.

O Guarani ganhou de Sampaio Côrrea e Criciúma? Concordo. Por serem no Brinco de Ouro, a missão foi cumprida. O problema é que são equipes presentes na zona do rebaixamento. Não demonstram intenção de reagir e alcançar o topo da classificação.

Em contrapartida, o Bugre tem três derrotas doídas. A primeira com o Fortaleza, em que o empate escapou por entre os dedos; diante do Atlético-GO, em um festival de erros e equívocos, além do rendimento decepcionante em casa diante da Ponte Preta.

Umberto Louzer não deve apenas aproveitar o período para ajustes como para incutir nos atletas a necessidade de ser competitivo nas partidas contra os postulantes ao acesso.

Até o final do turno, o Alviverde receberá no Brinco de Ouro as equipes do CRB, Vila Nova, São Bento, Boa Esporte, Coritiba, Figueirense e Brasil de Pelotas. Muitos com desejo de acesso. Terá que superar os obstáculos e somar os 21 pontos disputados e ainda angariar tentos fora de casa diante de Goiás, Juventude, CSA, Avaí, Oeste, Paysandu e Londrina.

Abaixo de 34 pontos dificilmente o acesso entrará no roteiro. Então, que o Guarani trata de melhorar o rendimento. Se não, a frustração virá. Em doses cavalares.

(análise feita por Elias Aredes Junior)

Veja Também

A areia movediça da mediocridade vai matar o futebol campineiro

“Saía do futebol e faça outra coisa no jornalismo. O povo gosta é de comentário ...

4 Comentários

  1. O Guarani F C está longe de fazer o trivial.

    Precisa de um técnico experiente urgente.

    Minha opinião de torcedor.

  2. A diferença de se ter um excelente técnico.

    A Ponte Preta está encarando, neste exato momento, o Flamengo RJ no Maracnã lotado de igual para igual sem o time titular.

    Alto nível de concentração, determinação e plano tático.

    Lembrando que o Flamengo RJ é o líder da Série A.

    Muito bom o elenco da Macaca.

  3. Na minha modesta opinião a Ponte Preta é a favorita da Série B.

    Inclusive, para ganhar o título.

    Estou analisando friamente.

    O futebol.

    Esquecendo a rivalidade.

    Espero que o Guarani F C aproveite o momento do rival e venha junto.

    No mesmo nível de competitividade, concentração, determinação, garra e tático.

    Minha opinião

  4. 1 – Time do Guarani F C é fraco.
    2 – Não dá importância a posse de bola.
    3 – Não prioriza o jogo coletivo.
    4 – Não conhece a importância da segunda bola.
    5 – Não recompõe.
    6 – Atua sem intensidade.

    Eu sou o corneta e o técnico é a maravilha.

    Não vamos subir.

    Se não cair, está no lucro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *