sábado , 15 dezembro 2018
Home / Destaque / Ponte Preta sacramenta hegemonia sobre Guarani na atual década. Confira os números

Ponte Preta sacramenta hegemonia sobre Guarani na atual década. Confira os números

A Série B do Campeonato Brasileiro terminará neste sábado e a Ponte Preta, independente do resultado do jogo de sábado contra o Avai já celebra o fato de ultrapassar o rival em mais uma competição nesta década, além de somar quatro pontos nos dois clássicos realizados com torcida única, pois venceu o primeiro jogo por 3 a 2 e empatou sem gols no Moisés Lucarelli. Na classificação geral, a Alvinegra tem 59 pontos enquanto que o Guarani acumula 51.

Em suas três participações na Série B nesta década (2011,2014 e 2018), a Alvinegra campineira somou 191 pontos e ostenta média de 1,69 por partida. O Guarani, por sua vez, angariou 188 pontos em quatro participações (2011, 2012, 2017,2018) e com média de 1,24.

No primeiro round do confronto, em 2011, a Ponte Preta disputou a Série B e além de duas vitórias nos dérbis (por 2 a 0 e 3 a 0) levou a melhor na classificação geral, quando somou 63 pontos e terminou na terceira colocação enquanto o rival terminou com 52 pontos.

No ano seguinte, o Alviverde deu o troco com triunfo nas semifinais do Paulistão, com o placar por 3 a 1 e a participação nas finais contra o Santos.

O quadro ficou invertido em 2013. A alvinegra venceu o dérbi por 3 a 1 e alcançou as quartas-de-final, foi eliminado pelo Corinthians e depois faturou o título do interior. Já o Guarani terminou na lanterna.

A Macaca participou nas temporadas seguintes do Paulistão enquanto o Guarani ficou de 2014 até este ano na Série A-2. Em âmbito nacional o bugre foi rebaixado na Série B em 2012 e esteve de 2013 a 2016 na terceirona nacional. A  Macaca caiu no Brasileirão em 2013, voltou em 2014 e foi rebaixada no ano passado.

(texto e reportagem: Elias Aredes Junior)

 

Veja Também

Uma pergunta que não quer calar: Abdalla administra para Ponte Preta ou Vanderlei Pereira? Entenda os motivos.

Na atual temporada, a Ponte Preta viveu um constante terremoto político. Sérgio Carnielli entrou em ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *