Por problemas de saúde, José Armando Abdalla renuncia ao cargo de presidente da Ponte Preta

6
806 views

Em carta enviada ao Conselho Deliberativo, o dentista aposentado José Armando Abdalla Junior renunciou ao cargo de presidente da Ponte Preta, que ocupava o cargo desde janeiro de 2018. O vice-presidente, Sebastião Arcanjo, o Tiãozinho, assume o cargo até o final do mandato.

Durante o seu mandato, Abdalla esteve envolvido em conflitos com o ex-presidente Sérgio Carnielli e cujo protagonista dos embates foi o advogado e diretor financeiro Gustavo Valio. No departamento de futebol, o seu único legado serão as três vitórias e um empate no clássico campineiro. Nos duas participações na Série B do Campeonato Brasileiro, o time não obteve o acesso.

A equipe padeceu também pela constante troca de treinadores. Sob o seu comando, a Ponte Preta foi comandada por Eduardo Baptista, João Brigatti, Doriva, Marcelo Chamusca, Gilson Kleina, Mazola Junior e Jorginho.

Apesar disso, o presidente afirmou que o estado de saúde foi preponderante para a decisão de sair da diretoria executiva. “Meu cardiologista determinou que eu tirasse uma licença de três meses para fazer um procedimento de angioplastia, pois meu coração está em um estado delicado. Eu teria de deixar a Ponte num momento importante, de planejamento para 2020, e sem garantia de condições para retornar. Entendo que todos nós, diretoria, conselho e torcedores, queremos o melhor para a instituição e entendo que, em decorrência desta situação, a renúncia é o melhor caminho”, explicou. (Elias Aredes Junior)

6 Comentários

  1. É a associação caindo na realidade. Uma verdadeira “Zona”. Um clube pequeno e decadente que um dia achou que era grande.

    A volta da era do sofá penhorado … Aguardem.
    Peruas iludidas esperneando.

    Agora o circo está completo. Presidente Petista e Corinthiano.

    Para combinar com a torcida onde 70% torcem para um segundo time.

  2. kkkkkkkkk ….. deprimente ver comentário do Poderoso e eterno Real Madri da Série C….

    Se enxerga galinha falida!!! Ainda não escapou da série C hein… e domingo tem chocolate! CPF na nota??

  3. Falou Gaylherme Sampaio da torcidinha pequena e mista,cujo os dois ultimos presidentes eram corinthiano e cruzeirense e tem a pachorra de falar da Ponte!!!! Cujo a torcida só coloca mais que 5 mil se ajudado por outras torcidas e que eles mesmos chamam pra ajudar!!!!!
    Kkkkkk Gaylherme,vc é uma piada, aliás sumiu la do portal CB.

  4. Não julgo este ou aquele presidente ou diretor se tem competência para o cargo, mas deveria existir uma Lei Federal que alguém que já exerceu mandato político seja municipal, estadual ou federal não poderia participar em nenhuma entidade filantrópica, e em nenhum clube de futebol, pois diariamente estará fazendo campanha fora de época, para suas pretensões políticas nas próximas eleições

  5. Abdalla se foi sem deixar saudades, mas deixa a Ponte muito melhor do que pegou do sr. Vanderlei Pereira, aqueles que trabalhavam dia sim e outro também para atrapalhar a gestão do Sr. Abdalla agora voltam a ser vidraça. Essa gente alimentou o ódio e agora se não apresentarem resultados a curto prazo, serão vítimas desses mesmos monstrengos que alimentaram. Será que o Tiãozinho vai pedir pra sair também ou vai ficar no cargo e aceitar ser encabrestado pelo sr. Carnielli?

    Enquanto dirigentes amadores infestarem os clubes de Campinas, nada de bom será feito. Red Bull com dinheiro e principalmente com muita, muita competência já tinha feito a melhor campanha no paulistinha e agora sendo hospedeiro do Bragantino já no 1o ano conquistou acesso pra Série A com muitas rodadas de antecedência. Se o Bragantino ainda estivesse nas mãos da amadora famiglia Chedid estaria na mesma situação que os clubes de Campinas, porém os Chedid foram inteligente$$$ e aceitaram de pronto que o Red Bull assumisse o clube, ficando eles no papel de rainha da Inglaterra.

    Vimos com o Red Bull que apenas ter dinheiro não basta, tem de ser competente, a competência tem de estar acima do fanatismo clubístico, não importa se a pessoa gestora torça pro time a ou b, ela tem agir e fazer com que o clube que dirige seja melhor que os outros. Se dirigentes da Ponte tivessem sido humildes, a parceria ao invés de ter sido com o Bragantino, teria sido com a Ponte, mas, mas, sempre o mas….