terça-feira , 23 outubro 2018
Home / Destaque / 118 anos de Ponte Preta: Os laterais-direitos revelados nas quatro últimas décadas

118 anos de Ponte Preta: Os laterais-direitos revelados nas quatro últimas décadas

Em alusão ao 118º aniversário da Associação Atlética Ponte Preta, equipe de futebol mais antigo do país, a reportagem do Só Dérbi revirou os arquivos e, neste segundo capítulo de reportagens especiais, traz os nomes de laterais-direitos revelados nas categorias de base.

O levantamento aborda os últimos 40 anos da instituição, haja vista ter passado toda a década de 60 na segunda divisão. Até que em 1969, um time de jovens formados no próprio clube, levou a Macaca a um dos principais títulos da era profissional, o da Série A2 do Campeonato Paulista.

No ano seguinte, com a mesma base, conquistou o vice-campeonato estadual e foi o único do interior paulista a disputar o Troféu Roberto Gomes Pedrosa, em outras palavras, o Campeonato Brasileiro da época.

Entre craques, ídolos e figuras exóticas, confira os principais laterais-direitos alvinegros das quatro últimas décadas. Entre os nomes de maior destaque estão Nelsinho Baptista e Abobrão.

LATERAIS-DIREITOS:

Nelsinho Baptista: Estreou em 1967 com 16 anos e foi o capitão do time de 1969. Depois se transferiu para o São Paulo, onde sagrou-se campeão paulista em 1975. A trajetória vitoriosa no futebol se repetiu no Santos (Campeonato Paulista de 1978) e Juventus (Taça de Prata de 1983). Nelsinho foi treinador da Ponte em 1987, 2000 e 2001 e 2007. Da área técnica, faturou o Campeonato Brasileiro de 1990 pelo Corinthians.

Edson Abobrão: foram 224 partidas entre 1977 e 1983. Disputou a Copa do Mundo de 1986 no México como jogador do Corinthians. Também atuou no rival Guarani e fez o último gol da decisão por pênaltis em 1991 contra o Coritiba, quando o Bugre conquistou o acesso à primeira divisão nacional.

Everaldo: também jogou no lado canhoto da defesa. Bicampeão da Copa São Paulo de Futebol Júnior, defendeu a Macaca de 1981 até 1984. Foi auxiliar técnico de Sérgio Guedes na campanha do vice-campeonato paulista de 2008.

Heitor: 1983. Depois foi para o Flamengo. Curiosidade: Heitor Camarim foi eleito Prefeito de Laranjal Paulista em 2012.

Roberto Silveira: 1991. Fez o gol da vitória na primeira partida da final do Campeonato Paulista de Aspirantes no Morumbi. Vitória da Macaca por 1 a 0 em cima do Guarani. Na volta, empate em 1 a 1, também na capital paulista, e título da Alvinegra nos Aspirantes daquele ano.

Carlos Alexandre: 2001

Ney Careca: foi para o Atlético-PR trocado por Castor em 2006.

Junio: foi lançado em 2014 com 16 anos por Vadão numa partida em Ribeirão Preto contra o Comercial. Foram cinco participações na Ponte e acabou negociado com o Internacional. No momento, defende as cores do Rio Ave, de Portugal.

Emerson: começou em 2017 e, em abril de 2018, foi vendido ao Atlético-MG. Em contrapartida, Danilo Barcelos foi cedido por empréstimo para disputar a Série B do Campeonato Brasileiro.

Jeferson: começou em 2013 e também jogou na lateral-esquerda. Foram 116 jogos em Campinas e hoje defende as cores do Vitória.

Clique aqui e veja o primeiro capítulo.

(texto e reportagem: Lucas Rossafa/foto: Ponte Press)

Veja Também

Números mostram: Ponte Preta pode engrossar (e muito!) o jogo contra o Fortaleza

Ganhar do líder Fortaleza seria uma missão impossível para a Ponte Preta se estivéssemos em ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *