segunda-feira , 18 junho 2018
Home / Destaque / A escolha do Guarani: trabalho de longo prazo ou a inconsequência da troca de treinador?

A escolha do Guarani: trabalho de longo prazo ou a inconsequência da troca de treinador?

O futebol tem memória curta. Tudo é esquecido em segundos. O empate no Serra Dourada diante do Goiás não tirou a pressão sobre o técnico Umberto Louzer. Torcedores e dirigentes falam de sua inexperiência, ausência de traquejo e tarimba para sair de ciladas armadas na Série B do Campeonato Brasileiro. A conquista da Série A-2 do Paulistão virou página virada.

Concordo que não há como fazer comparações. A Série B é melhor. Isso não quer dizer que não há mérito naquilo que foi feito. Se o Guarani disputará o pelotão de elite grande parte é creditada pela façanha do treinador em domar egos e explorar o potencial ofensivo. A defesa está errada? Sim. Mas quantos na segundona nacional podem dizer que tem o potencial do Alviverde para balançar as redes? Poucos.

Quanto tempo terá o treinador? A diretoria dará espaço para reabilitação? Não podemos esquecer do história do presidente Palmeron Mendes Filho dentro do queijo, o prédio administrativo do Brinco de Ouro. Permitiu que demitissem Vadão por telefone e no início do ano colocou o facão no pescoço do próprio Louzer ao lhe conceder cinco rodadas para embalar. A vitória apaga tudo. Inclusive os erros absurdos.

Sem infraestrutura adequada, com recursos controlados pela Justiça e ainda com a perspectiva de perder os seus jogadores durante a Copa do Mundo. Vide o vencimento do contrato de Bruno Nazário, previsto para junho.

Os obstáculos são visíveis. Não seria caso de conceder tempo? Não é o momento de conversar, trocar ideias e verificar aquilo que pode ser ajustado no sistema tático, na estratégia e no modelo de jogo? Não seria mais produtivo incentivar um profissional presente no Brinco de Ouro desde o ano passado e com sede de vencer?

O Guarani tem defeitos sim. Só que o próprio futebol comprova que bons resultados só acontecem com trabalhos de médio e longo prazo. Ou o Grêmio é fruto de milagre? E o Londrina? E o Brasil de Pelotas que aposta agora em Clemer? E o Cruzeiro de Mano Menezes? A hora não é de ruptura, e sim de diálogo e de troca de ideias.

(análise feita por Elias Aredes Junior)

Veja Também

Disciplina da Série A2 segue, e Guarani tem o menor número de advertências na Série B

O elenco do Guarani dá mostras de que consegue entender o estilo de Umberto Louzer. ...

29 Comentários

  1. Trabalho ruim a longo prazo ?

    Qual seria o resultado ?

    A torcida aguentaria mais um rebaixamento ?

  2. Concordo que a diretoria deve priorizar um trabalho de médio/longo prazo com o Louzer. Acho que a única justificativa para demissão seria uma ameaça real de rebaixamento. Se terminar o primeiro turno entre os quatro últimos, por exemplo. Aí, não teria como continuar, pois não podemos correr riscos de rebaixamento em hipótese alguma.

    Mas, tirando essa situação, que creio que não acontecerá, acredito que deve haver a manutenção do treinador. Demonstra ter muito potencial.

    O que ele deveria ser aconselhado a fazer, em minha opinião, é buscar mentoria. Procurar algum mentor de larga experiência.

    Mas Elias, o que eu gostaria de saber, é se há algum problema entre treinador e elenco. Estariam eles fechados, como estiveram no Paulista? Às vezes tenho a impressão de que há alguns jogadores com egos inflamados no elenco, que nem sempre obedecem ao que o treinador pede. É uma impressão que eu tenho, assistindo ao comportamento do Louzer à beira do gramado e ouvindo as entrevistas pós-jogo. O que você me diz?

  3. A sua análise está perfeita . O trabalho de longo de prazo com alguém já demonstrou competência é a saída .

  4. Bugrino no País das Maravilhas

    Cairemos para a série C.

    A curto prazo.

    O time não tem padrão de jogo.

  5. O babaca Fernando voltou e com novos fakes. Quanta criatividade!!!!!

  6. Pelo amor de Deus, equipe do só derbi, bloqueiem comentários desse Fernando, e todos esses pseudônimos que ele usa. MISERICÓRDIA.

  7. Parabens a criatividade destes apelidos , Bugrino no país das maravilhas ,Bugrino Rubi , Cacique velho .

    Apenas cuidado para não ter Bugrino preto e branco ….

  8. Como torcedor bugrino é corneteiro!
    Até pouco tempo atrás qnd entrava aqui e vinha ver as noticias do Guarani, ngm reclamando, Louzer era um técnico de enorme futuro, que todos viam com futuro no Guarani. Todo mundo esqueceu que era na série A2, que diga-se de passagem, o Guarani tinha um elenco pra passar sobrando, como passou realmente.
    Ai agora ele não servir mais, ainda indo pra 7ª rodada, é muita cornetagem esperar que o Guarani vai jogar o mesmo que jogou na A2, a série B é bem mais difícil, bem mais longo, mais desgastante pelas longas viagens pelo Brasil e sem esquecer que o time esta sendo remontado com a competição em andamento, é jogador que se machuca, é o relaxamento pós-titulo/acesso.
    Ano passado demitiram Vadão por MUITO MENOS, mas se lembrar já tinha gnt cornetando.
    Como dizia o Felipão pra uma parte da torcida do palmeiras: “ESSA TURMINHA DO AMENDOIM É CHATA DEMAIS”

    Parece ate que tem gnt dentro do GUarani que torce pra dar errado.
    Já esta mais que comprovado, continuidade é prova de sucesso, mesmo que esse sucesso em 2018 seja a permanência, pra 2019 subir pra série A.
    Demitir no meio do campeonato, chega outro técnico, vai querer outros jogadores, vai querer outra maneira de jogar, vai desorganizar ainda mais, até conseguir organizar de novo.
    Então, deixa o Louzer trablhar.

    • Aqui não é o muro das lamentações, Fernando. Se você quiser que suas lamúrias sejam ouvidas, dirija-se
      à Avenida Imperatriz Dona Tereza Cristina, n. 87, agende uma visita com o Palmeron e o Conselho deliberativo e assim você poderá registrar suas queixas à vontade. Isso se eles tiverem estômago para aguentar você. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    • Defesa Verde Campeã

      Linha de defesa: Bugrino Verde, Zanelli Jr, João SJC e Índio Velho.

      Suplente: Fabiano

      Nesta defesa não passa nem pensamento.

      É só correr para o abraço,

      Vamos ganhar o campeonato sem tomar gols.

      Rumo ao Japão.

    • Trabalho a longo prazo não envolve só treinador.

      Os jogadores que estão agradando teriam também que ter contratos estendidos por alguns anos.

      2 ou 3 anos.

      Teríamos que ter sempre uma base para o ano seguinte.

      Trabalho a longo prazo com contrato do jogador durando 1 ano ?

      Ano que vem serão outros jogadores e começaremos tudo de novo.

      É uma incoerência.

      Vocês não acham ?

  9. Alemanha 7 x Brasil 1.

    Já se esqueceram ?

  10. Parabéns ao Indio Velho , sintetizou muito bem . A continuidade é o segredo para o nosso sucesso no Guarani .

  11. Vamos ver se essa diretoria não se deixa levar pelo “imediatismo” pois o correto é o trabalho a médio e longo prazo.

    O Umberto está começando agora a carreira e vai precisar de suporte para conseguir bons resultados. Eu sou favorável a dar crédito ao Umberto, pois o Guarani não pode ficar contratando “bombeiro” toda a vez que a situação complica.

    O clube precisa de alguém de confiança, com vontade e vencer e crescer profissionalmente e que também consiga aos poucos incorporar ao grupo os jogadores da base. O Guarani precisa fortalecer a sua base, voltar a formar bons jogadores. O Umberto pode ser esse elo.

  12. Trabalho a longo prazo não envolve só treinador.

    Os jogadores que estão agradando teriam também que ter contratos estendidos por alguns anos.

    2 ou 3 anos.

    Teríamos que ter sempre uma base para o ano seguinte.

    Trabalho a longo prazo com contrato do jogador durando 1 ano ?

    Ano que vem serão outros jogadores e começaremos tudo de novo.

    É uma incoerência.

    Vocês não acham ? ???

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *