domingo , 19 agosto 2018
Home / Destaque / Análise Tática Ponte Preta: o que fazer nos próximos 180 minutos?

Análise Tática Ponte Preta: o que fazer nos próximos 180 minutos?

Nos últimos anos, a Ponte Preta ganhou, com justiça, a fama de ser uma equipe capaz de surpreender os gigantes e de maneira surpreendente tropeçar quando menos se esperava.

A Macaca perdeu do Londrina por 1 a 0 e produziu uma duvida na mente dos torcedores e analistas: com que trunfos a Alvinegra vai surpreender o Flamengo e o rival Guarani na próxima semana?

O lógico seria apontar o dedo para os atacantes André Luís e Felippe Cardoso. Fortes, velozes, com bom posicionamento e identificados com a torcida, seria natural esperar boas atuações no futuro. O duelo diante do Tubarão mostrou algo inequívoco: o meio-campo padece de criatividade. É crônico.

Danilo Barcelos pode – e deve – melhorar a produtividade nos próximos jogos. Só que seria hipocrisia esconder os erros de passes, a dificuldade para sair da forte marcação do oponente bem treinado e a insistência com as jogadas de Paulinho como elemento surpresa. Tiago Real esforça-se, faz o que é possível, mas por vezes esbarra na sua própria condição técnica. E quando saiu para a entrada de Júnior Santos só restaram as jogadas individuais.

Lances interessantes apareceram e isto explica o bom rendimento na etapa final e as defesas do goleiro Vagner. Renan Fonseca merece cuidado especial. Não porque seja limitado, e sim porque em duas ou três vezes ficou de mano a mano com o atacante adversário e o resultado quase foi desagradável. Posteriormente, em jogada de bola parada, saiu o gol. Pergunto: como tantos erros de posicionamento ocorrem em uma jogada manjada de bola parada? Pois é.

Só que é muito pouco, quase nada para um time que precisa desbancar um gigante para faturar uma bolada e seguir na Copa do Brasil e vai descer a avenida para encarar o rival sem sua torcida.

Fazer muito com pouco é a missão de Doriva. Fazer tal produtividade aparecer é a missão dos responsáveis do futebol profissional  pontepretano. Porque é preciso de ovos para se fazer omeletes. Nem que seja de codorna.

(análise feita por Elias Aredes Junior)

Veja Também

Lesão, suspensões e reforços tiram espaço de Orinho no elenco da Ponte Preta

Contratado por empréstimo junto ao Santos no início da temporada, o lateral-esquerdo Orinho chegou à ...

3 Comentários

  1. É por isso que gosto do Elias, não se esconde !!!!

    Fala o que deve ser dito !!!

    Críticas construtivas !!

    Põe o dedo na ferida !!!!

    Não escreve ilusões, tampouco esconde a verdade !!!

    Aponta os defeitos !!!

    Tenho mostrado os erros e defeitos do Guarani FC nos meus comentários, como torcedor, e estou sendo xingado !!!!

    O Guarani F C não tem um time equilibrado e é forte candidato ao rebaixamento !!!!

    Estou falando isto na 3ª rodada do campeonato !!!!

    Não adianta se desesperar depois !!!!

  2. Espero que um certo palhaço perua disfarçado de bugrino leia esse artigo. O time da pinguela não é melhor nem que os reservas do Bugrão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *