Em entrevista coletiva, Tiãozinho fala sobre rendimentos atrasados e mostra que vai morrer abraçado com Sérgio Carnielli. Custe o que custar

0
470 views

Os repórteres Gustavo Biano, da EPTV e Antonio Luppi da Rádio Bandeirantes conduziram uma boa entrevista com o presidente da Ponte Preta, Sebastião Arcanjo, o Tiãozinho na manhã desta quarta-feira, dia 13.

Tiãozinho externou os seus planos em relação ao pagamento dos salários atrasados, admitiu as dificuldades vividas pelo clube e esclareceu pontos que estavam obscuros nos últimos tempos. (confira a íntegra logo abaixo)

Agora, para quem desejava uma mudança politica no clube a frustração é latente.

As declarações do atual presidente demonstra que ele morrerá abraçado politicamente com o presidente de honra, Sérgio Carnielli.

Mais: Tiãozinho aproveitou a entrevista para criticar fortemente Conselheiros com postura fiscalizadora dentro do clube e que tiraram Sérgio Carnielli e Vanderlei Pereira do cotidiano da agremiação devido a uma medida judicial que corre em segredo de justiça.

Entre alguns pontos, Tiãozinho abordou o seguinte: “Eu considero alguns comentários muito oportunistas. Não é a primeira vez que a Ponte Preta fica sem pagar salário em dezembro e janeiro. Quando assumi o time tinha quatro meses de salário atrasado A Ponte Preta já teve Big Brother por atraso de salário”, disse o dirigente.

Eleaproveitou para espetar as últimas atitudes tomadas por alguns conselheiros. “Como vamos pedir para alguém que coloque mais recursos se existe uma onda um conjunto de pessoas que dizem que esse recurso não é justo, que não é válido e não pode pagar? A Ponte Preta tem divida com Carnielli com mais de R$ 100 milhões e reconhecemos esta dívida. Tem pessoas no Conselho que defendem auditoria. As pessoas entraram na Justiça para impedir o Sérgio de participar das atividades do clube”, disparou Tiãozinho.

Ele abriu fogo com integrantes do Conselho com postura crítica a Carnielli. “Eu penso que é muito oportunismo. Quando as coisas apertam você corre lá no Sérgio. Quando dão uma aliviada as pessoas dizem que ele não pode ir lá e dar palpite”, afirmou.

Essa única resposta revela diversas facetas da atual diretoria executiva da Macaca. Ao lamentar a proibição de Sérgio, indiretamente Tiãozinho admite que o presidente de honra Sérgio Carnielli dá palpites. Afinal, quem lamenta o fato de uma pessoa dar palpite é porque sente falta deles não é verdade!?

Fico intrigado também com o fato que existe um exercito para defender Carnielli mas ele mesmo não coloca a cara na ribalta. Por que essa volúpia que muitos têm em defende-lo? Gratidão? Medo? Pavor? Subserviência? Submissão? Não consigo decifrar.

Fato é que Tiãozinho aproveitou para reforçar o seu elo com Carnielli até o ultimo dia de governo. E posso assegurar: para uma parte relevante da torcida pontepretana é uma péssima notícia.

(Texto e opinião de Elias Aredes)

A entrevista coletiva está logo abaixo. Confira: