Ponte Preta 1 x 2 Vitória: Atuação preguiçosa e sem inspiração. Definitivamente, a torcida não merece tanta incompetência

3
1.135 views

Com a marca da preguiça e da falta de inspiração em boa parte do tempo, a Ponte Preta foi derrotada pelo Vitória (BA) por 2 a 1 em jogo realizado na tarde deste domingo e válido pelo Série B do Campeonato Brasileiro. O placar deixou o time com 41 pontos e na zona intermediária da classificação.  O desafio seguinte será no sábado, às 19h, contra o América Mineiro, na casa do adversário.  

Diversas alterações foram efetuadas pelo técnico Gilson Kleina. Sua intenção era incrementar o setor de criação, especialmente com a entrada de Marquinhos. O seu plano foi atrapalhado por alguns fatores. Em primeiro lugar pelo esquema de três zagueiros do rubro-negro baiano e que juntamente com os meio-campistas chegavam a formar uma linha de cinco jogadores.  

O volante Baraka, por sua vez, seguia em marcação implacável em cima de Renato Cajá. A estratégia escancarada era de jogar em cima do erro do adversário.  

A estratégia deu certo aos 18 minutos. Após um erro de passe de Diego Renan, o lançamento foi efetuado para Wesley, que entrou na área e chutou sem chance para Ivan.  

Não existia criatividade e Vico era o único com lucidez para fazer uma jogada diferente. Os chutes de média e longa distância promoveu defesas para o goleiro do rubro negro baiano Martin Rodriguez.  

Tudo isso acontecia apesar da colaboração do destino em virtude da expulsão de Léo Gomes após dar entrada temerosa no volante Edson.  A alvinegra tentou mudar a história no segundo tempo com as entradas do lateral Arnaldo e também do centroavante João Carlos.  

Mas Vico continuava a dar as cartas, tanto que colocou uma bola na trave e era um dos principais arquitetos.  O único momento que não participou, o lateral Arnaldo cruzou e João Carlos desviou de cabeça para proporcionar defesa do arqueiro rubro-negro. 

Aos 22min, Zé Ivaldo tentou interceptar a bola e o árbitro marcou penalti. Na cobrança, às 24min, Roger não deu chances ao arqueiro e deixou tudo igual.  

Na sequência, Guilherme Guedes levantou na direção da pequena área e o João Carlos deu um toque e viu a bola explodir na trave.  

Nos minutos finais, Roger, João Carlos e Alex Maranhão perderam oportunidades e viram os três pontos escaparem por entre os dedos. Pior: Felipe Garcia arrancou, entrou na área e cruzou para a conclusão de Jordi dar números à partida.   

(Elias Aredes Junior- com foto de Álvaro Junior- Pontepress) 

3 Comentários

  1. Não adianta, o time é um catado de empresários, uma boa base que estava aí foi mandada para o Corinthians a troco de banana, só pode ir pro buraco, manda todos embora e em janeiro começa a perigrinar pelo país atraz de empresários pra montar outro catado e o que é impressionante é que ela querem que de certo. Um símio tentaria montar uma equipe de modo diferente pois esse modelo já provou estar errado mas os iluminados da Ponte Preta, situação e oposição acham que um dia vai dar certo. Temo que quando for o dia de dar certo não exista mais torcedores Ponte Preta e nem lembrança do que fomos um dia.

  2. Resultado normal para este elenco e comissão técnica. Conclusões são óbvias: 1) elenco mal montado; 2) troca de treinador precipitada; 3) Gilson Kleina rebaixou tecnicamente a equipe em relação ao que Jorginho vinha fazendo. Resta a esse elenco conquistar os pontos necessários (47) pra escapar do rebaixamento e não perder o dérbi.

    Mais um ano que se passou na vida da Ponte e que não deixará saudades. Alguma esperança pra 2020? Até agora nenhuma.