Ponte Preta: a cobrança tem que ser imediata. Por André Gonçalves

0
559 views

Faltou no jogo de sábado frente o Avai o que sobra há algum tem no Majestoso. Competência! Nessa Serie B estivemos uma única vez no G4, da 37a para 38a rodada.

A equipe estava carregando nesse jogo derradeiro um peso que não competia a ela! A obrigação pelo acesso era – e é, porque não subimos – muito mais da diretoria do que dos jogadores e da comissão técnica.

Foram 5 treinadores durante o ano – Brigatti por 2 vezes.

A arrancada nas ultimas 9 rodadas foi incrível mas não histórica! Seria memorável se o acesso fosse consumado. Gilson Kleina foi contratado para nos tirar do buraco e quase nos levou ao céus.

O jogo de sábado não apaga em nada o grande trabalho que ele fez frente a equipe em menos de 2 meses e com pouco conhecimento do elenco.

Kleina foi gigante nos 9 jogos que comandou o time. Assim como em 2017 quando assumiu o time depois da demissão de Felipe Moreira – mais um invenção da diretoria – e acabou nos levando a uma final improvável no Paulistão daquele ano.

Nesse ano, foram 7 vitórias e 2 amargos empates. Lá em Fortaleza estivemos com a última bola do jogo nos nossos pés. Sábado a partida foi abaixo do que o time estava apresentando sob seu comando, outro empate.

Portanto, a diretoria precisa ser cobrada desde já na busca pela Série A em 2019.

A falta de dinheiro não pode ser desculpa! CSA e Avai subiram em condições financeiras igual ou piores que a nossa.

Se a diretoria iniciar 2019 com cabeça derrotada e com desculpas já batidas e ultrapassadas, é melhor entregar o cargo a quem pensa mais alto!

Além do mais, a falta de condições melhores é também por culpa dos que estão surfando nessa onda desde 1997!

O acesso, de certa forma, coroaria um trabalho medíocre que vem ocorrendo sistematicamente no clube. Impensável algum pontepretano ou pontepretana não torcer pelo acesso. Mas corríamos o risco de esquecer o que foi esse ano e os anteriores devido à euforia gerada por uma conquista dessa grandeza.

Estar à frente do rival da cidade, apesar de bom e costumeiro, não pode servir de parâmetro.

A verdade é que precisamos de abnegados pontepetanos e pontepretanas no comando do nosso clube!

Não dá mais para terceirizar à pessoas de confiança de Sergio Carnielli e esperar resultados positivos disso.

Estar na Série A do Brasileiro é tão bom quanto ter saúde financeira no clube. Hoje não temos nenhuma dessas delas.

Sem querer alongar ainda mais esse post, gostaria de ver o presidente atual conceder uma entrevista coletiva assumindo compromissos, as diretrizes e o que podemos esperar da Ponte Preta para a próxima temporada!

(análise de autoria de André Gonçalves)

Deixe Um Comentário