Sérgio Soares, técnico e personagem do mundo da bola, tece elogios a Sérgio Carnielli. Uma declaração que produz um labirinto de reflexões

0
474 views

Estou em processo de produção para a rádio Brasil de uma série de entrevistas com treinadores do futebol brasil. Quero saber de suas ideias, conceitos, entendimentos sobre o jogo e, se possível, uma avaliação sobre o futebol de campinas. Já conversamos com Falção, Cristóvão Borges, Hermerson Maria, Thiago Larghi, Pintado, entre outros.

Nesta segunda-feira tive a chance de gravar com Sérgio Soares, atualmente no Juventus (SP) e que atuou no Guarani como jogador e como treinador na Ponte Preta. Decidi pinçar uma declaração dele sobre o presidente de honra, Sérgio Carnielli. E que é altamente positiva sobre o dirigente. Confira:

Perceba que em menos de um minuto, Sérgio Soares descreve o perfil de Carnielli em 2009. E que, muitos acredito, reafirmam no mundo da bola, apesar de alguns desafetos declarados, como o ex-técnico Jorginho.

Acredito piamente em toda a descrição feita por Sérgio Soares. O que se viveu em 2009 foi isso aí mesmo. Carnielli fez de tudo para subir de divisão. Ficou um gosto amargo de frustração porque o plano do acesso teve o gosto de fracasso, especialmente pelo vice-campeonato do eterno rival Guarani.

Meu foco neste artigo é único. É entender em qual lugar está este Sérgio Carnielli descrito por Sérgio Soares. E que reafirmo: acredito na veracidade. Até porque o ser humano é contraditório, capaz de gestos altruistas e de erros monumentais. Carnielli não foge disso.

Nos últimos anos, o que se viu, quando o nome de Carnielli estava envolvido, foram apenas discussões, rompimentos, mágoas, ressentimentos e uma série de sentimentos negativos que fez muitos se afastarem dele: Marco Antonio Eberlin, Nivaldo Baldo, Marcos Garcia Costa, Márcio Della Volpe, Pedro Antonio Chaib, Zaiman de Brito Franco, Gustavo Valio, José Armando Abdalla Junior, entre outros.

O que aconteceu? Qual o motivo da divisão? O que faz o dirigente acolhido por personagens pelo mundo da bola sofrer uma crescente rejeição? O que acontece para alguém que fez pela Ponte Preta ser alguém hoje motivo de rejeição.

Só o tempo e os fatos é que podem responder. Mas é inegável que a falta de diálogo nos últimos e o processo de impor seus desejos sem discussão é algo que não pode ser esquecido.

No fundo, a dúvida só pode ser dirimida pelo próprio Carnielli. Tomara que ele tenha disposição em esclarecer.

(Elias Aredes Junior)

Observação: a íntegra da entrevista com Sérgio Soares irá ao ar neste sábado, dia 20 de fevereiro, na Rádio Brasil, AM 1270.