segunda-feira , 16 julho 2018
Home / Destaque / Terceirização ainda divide opinião dos sócios do Guarani e projeto pode ser adiado para 2019

Terceirização ainda divide opinião dos sócios do Guarani e projeto pode ser adiado para 2019

O assunto terceirização ainda paira sob dúvidas nos bastidores do Brinco de Ouro. A ideia de repassar o comando do departamento de futebol para uma instituição privada ainda não é unanimidade entre os sócios.

Ontem, durante a reunião do Conselho, o tema foi pouco debatido e deverá receber uma Assembleia exclusiva nos próximos meses. A reportagem do Só Dérbi ouviu três associados – que pediram anonimato -, para medir a aceitação do projeto dentro do clube.

Apesar do desejo da atual diretoria pela terceirização antes da Série B, o número de sócios que aprovam o projeto ainda é insuficiente. O ex-presidente Horley Senna, inclusive, teria iniciado uma discussão sobre os termos da primeira proposta da Magnum – uma das empresas interessadas. A principal preocupação seria em relação ao tempo de contrato. Informalmente, tem se falado em dez anos, mas os sócios querem um vínculo compatível com os mandatos dos presidentes.

Antes tratado com certo otimismo pelo presidente Palmeron Mendes Filho, o assunto terceirização já virou incógnita e, por isso, o Conselho de Administração quer convocar, o mais rápido possível, uma reunião para tratar sobre o tema e esclarecer todas as dúvidas. Porém, não está descartado adiar o projeto para o próximo ano.

(texto e reportagem: Júlio Nascimento)

Veja Também

Guarani aguarda abertura de janela para oficializar contratação de Jefferson Nem

A diretoria do Guarani espera a abertura da janela de transferências de Portugal, prevista para ...

37 Comentários

  1. Está certíssimo, o assunto precisa ser debatido com profundidade! Sem pôr a carroça na frente dos bois, sem meter os pés pelas mãos.

  2. Que calúnia hein? 80% do Conselho é a favor! Ouviu quem? Artur Eugenio? Claro que ele nao quer, o lambe saco dele, Nene Zini, perderia muita boca…

    • Se 80% é a favor então você concorda com a informação, Ricardo. Não dei nenhum número percentual, apenas que o projeto ainda não é unanimidade e precisa conquistar mais sócios para seguir adiante. Abs.

  3. A questão é , não serve terceirização , não serve incrementar o Sócio Torcedor , ou seja , nada é aceito para que o clube retorne aos melhores tempos .

    Na verdade querem que fique do jeito que está , para que poucos fiquem brigando por um poder que está se desvalorizando a cada ano que passa .

    A minha sugestão é que , quem seja contra que apresente alternativas para aumentar a receita .

  4. Sou a favor de um GFC forte, se a parceria for de forma clara e transparente, beneficiando apenas o GFC eu concordo. Agora se for apenas p agradar esses pestes que não largam o osso por nada, que de as mãos e sumam tdos juntos.
    #Vamubugrão

  5. É questão de tempo para acabar

  6. Se durante os 10 anos de duração o GFC tiver participação significativa nos lucros advindos da terceirização e investindo esse lucro em infraestrutura, no CT, ir atrás do novo estádio, acertar as contas pra aderir ao profut, etc etc etc, então vale a pena…
    agora se for um daqueles contratos cabulosos, que nunca se sabe o que vai acontecer, então esquece.

  7. Chico Fundamentalista

    O nivel de comentario da bem baixo hein.Parecem crianças teclando, acreditam em Papai Noel… Se terceirizar o Futebol fosse algo excelente os grandes clubes ja teriam feito isso concordam? Só se terceiriza algo – em qualquer empresa que seja – quando os dirigentes assumem que não conseguem fazer a gestão.
    Mas com uma grande diferença. Geralmente, só se terceiriza setores/departamentos de uma empresa que não tenham relação com o “core Business”. Exemplo: Uma empresa Têxtil. Seu core Business é produzir tecido, mas, a sujeira que faz para produzir esses tecidos é tão grande que a empresa não da conta de contratar e demitir funcionários toda hora. Nesse caso, terceiriza a limpeza do setor de produção contratando uma empresa especializada em limpeza e resolve o problema.
    Agora, terceirizar o departamento de Futebol – o Core Business – de um clube? Não precisa ser gênio para chegar a conclusão que querem usar o gfc para fazer dinheiro comprando e vendendo jogadores. É um dos últimos passos para a falência definitiva.

    • Chico, em uma situação mais estável, a terceirização não teria nenhuma razão de ser. Isso é óbvio. Mas, com muita humildade, todos os bugrinos entendem que a terceirização pode ser uma boa coisa devido ao momento instável em que vivemos. Nossas limitações administrativas e financeiras são grandes. Nós já assumimos esse fato, abandonando uma visão irreal de nós mesmos. Assim, nesse momento, medidas criativas precisam ser tomadas para retomarmos o crescimento.

      Aliás, é possível prever como estará o futebol de Campinas na próxima década. A AAPP, arrogante, na ilusão de que é grande, se apequenerá. O Guarani, humilde, consciente de seu momento difícil, se reerguerá.

      Pode anotar.

      • Chico Fundamentalista

        A Ponte se apequenar e o gfc se reerguer é apenas uma fantasia na sua cabeça Profeta. Não existe um indicio se quer que aponte isso. Pura ficção da sua criativa mente.

        • Obrigado pelo elogio quanto à criatividade. Agora, não existem indícios? Se você dissesse que há mais indícios do apequenamento da AAPP do que do reerguimento do Guarani, eu poderia até concordar. A AAPP está diminuindo mais rapidamente do que o Guarani progredindo. Penso assim. Sou sincero. Mas dizer que não há indícios desses movimentos futebolísticos? Isso é complicado.

          Só me resta terminar minha colocação com o antigo ditado: o pior cego é o que não quer ver.

          • Chico Fundamentalista

            Profeta, o descenso de divisão da Ponte Preta em 2017 foi um acidente. A campanha – mesmo com todos os erros da diretoria – era de manutenção.
            Hoje, pela estrutura, profissionalismo do departamento de Futebol e toda credibilidade que foi construída em cima da marca Ponte Preta, nos tornamos um time de Serie A. Temos credibilidade, estruturas físicas e o reconhecimento, tanto de dos clubes de primeira grandeza, quanto dos jogadores profissionais (de ponta), empresários do mundo da bola, empresas patrocinadoras, federações, Conmenbol, CBF e imprensa. Inclusive, a imprensa nacional nos elogia rotineiramente enaltecendo o fato de, em 2017, fomos Segundo Clube que mais cresceu (só atras do Palmeiras), O Clube que mais se valorizou, o Clube que com o melhor relação “dinheiro investido x pontos conquistados” (dados do brasileirão de 2016), Premio por Gestão modelo Empresarial…
            Enfim, repito: O rebaixamento foi um acidente. E assim como em 2014, vamos bater e subir.
            Mas dessa vez, ocorrerá um fenômeno ainda mais interessante. E vou te dizer, anota ai:
            “Estamos investindo continuamente na melhoria da categoria de base ha anos. E como você bem sabe, esse é um investimento de longo prazo. Mas esse prazo chegou! A Ponte enfim começará a colher esse frutos! Nossos times sub17 e sub20 estão voando! Quem conduzirá a Ponte a elite novamente será – em boa parte – essa molecada!”
            E falando em excelencia de categoria de base, recebemos esse titulo máximo também no ano passado.
            Então, se voce quiser realmente debater em um nível acima das discussões tolas “quem foi campeão de 78 e recordista de rebaixamentos do século”, venha com bons argumentos. Escrever bem, eu ja notei que é mais um de seus talentos. Agora, quero ver contudo pra fundamentar essa sua alegação delirante que estamos naufragando a deriva e vocês decolando em uma nave espacial.

  8. Realmente a Ponte atendeu a todos estes parâmetros , mas apesar de tudo isso ainda é dependente do sr Sérgio Carnielli . A questão é do que adianta de toda este “planejamento e organização” se ainda depende do valor aportado por um cidadão ????

    Infelizmente este é um caminho que o Guarani deve seguir , de terceirizar o Futebol . Não temos pessoas capacitadas para fazê-lo . Está escolha é baseada em apenas 800 sócios do clube . Tem que ter muita sorte para achar pessoas competentes , que entende de futebol e de administração de Times em uma amostra de 800 pessoas .

    Precisamos mirar no que a Ponte fez com esta tercerização feita ao sr Carnieiri , adotar as acoes positivas e evitar a dependência que o mesmo criou.

  9. Rebaixamento da AAPP um acidente? Sim, vários acidentes, como perder em casa para equipes rebaixadas… aff… Bom, quanto ao assunto em epígrafe, é claro que grandes clubes não vão aderir à terceirização não apenas por (des)necessidade, mas poderiam, uma vez que apenas não passam por situações parecidas com os clubes de Campinas pois tem mídia, torcida e patrocínio; mas estão numa situação financeira muito ruim, não fosse assim o Corinthians teria mantido seu time campeão de 2015, sem contar os destaques do ano passado. E vários outros fatores também, o principal deles é a mentalidade brasileira do “empresário malvadão e que visa o lucro”, como se visar o lucro fosse algo tão prejudicial, pelo contrário.
    Esta ideia de não terceirizar o “Core Business” é tão somente devido à atrasada legislação brasileira que não permite isto, caso contrário, várias empresas poderiam, sim, aderir a isto. Mas algumas outras aderiram, mas com uma outra, digamos, “roupagem”. Um exemplo é a IBM, que não exatamente “terceirizou”, mas a partir de certo momento seus micros não mais foram produzidos por ela, e várias outras empresas assim procedem, não exatamente terceirizando, mas via industrialização por outras empresas e focando em serviços.
    Da forma que os clubes estão, o Guarani em particular, não terceirizar tende o clube ficar nas mãos dos amadores de sempre, que agem apenas com a paixão, e a paixão só faz bater cabeça e não tomar as medidas que devem ser tomadas.

    • Chico Fundamentalista

      Como é que é? A legislação não permite Clube Empresa? Vc esta muito mal informado em meu amigo… Alias, desde de 1994, o União São João, foi o primeiro clube empresa…Atualmente, temos o Audax, Red Bull que disputam a serie A do paulista – coisa que vcs não tem capacidade de fazer. A questão é que, quando um clube se declara como empresa ele perde alguns benefícios e privilégios fiscais. O que eu credito que a legislação não ampare é justamente essa terceirização. O clube continuar como sociedade sem fins lucrativos mas terceirizar o seu departamento de futebol para uma empresa com fins lucrativos. Isso sim me soa estranho.

      • Leia o que eu escrevi, meu caro. Disse em cima do que vc mesmo escreveu, a legislação não permite terceirização do CORE BUSINESS. E por isto mesmo é mais um motivo para o Guarani buscar a terceirização, já que a legislação para a área de desportos é diferente.

        • Complementando e retificando, a terceirização do CORE BUSINESS de uma empresa comercial / industrial / serviços (como o exemplo citado por vc da empresa de tecidos) não era permitida pela legislação, tendo sido aprovada recentemente.

  10. Chico Fundamentalista, o rebaixamento foi um acidente? Cara, é por essas e outras que a AAPP sempre será o que sempre foi: um time pequeno. Espero, de todo o coração, que você, todos os torcedores da AAPP, e também a diretoria, continuem pensando assim!

  11. CHico Fundamentalista, escrever ate que escreve bem, vê-se que tem algum tipo de experiência na área, mas pelo visto de futebol pouco entende, não tem uma visão analítica das coisas e só deixa a paixão pela aapp falar mais alto ao invés da razão.
    Cá pra nós, a aapp foi pífia esse ano de 2017, e ta montando um time que – escreve o que estou dizendo, vai brigar pra não cair no paulistão… e se cair, ai que vai acordar e ver que essa coisa de aapp ser grande e algo que colocaram na cabeça dos torcedores? que a própria mídia faz isso?
    Como torcedor do Guarani sei que já não tem espaço pra torcer pra um time que não existe mais, aquele Guarani, grandioso, com grandes nomes no elenco e tal… o Guarani de hoje é esse que a gnt vê, acompanha, sofre, e é o que temos… agra sonhar com algo que nunca fui ai é demais…

    • Chico Fundamentalista

      Tozin, primeiramente, não escrevo tão bem assim mas agradeço o elogio.
      Em segundo, realmente sou um torcedor da Ponte Preta muito assíduo mas, não sou cego. A Ponte Preta, é sim o time que mais se valorizou e mais se estruturou na ultima década. Talvez, ate pela precariedade de nossas instalações na época, gerou esse dado hoje.
      Minha opinião, por tudo que eu acompanho da Ponte, é que o rebaixamento foi um acidente. E essa temporada vai provar se eu estou certo ou errado. Se a Ponte disputar as finais do Paulista e subir pra Serie A vai corroborar com o que eu disse. Afinal, apenas os times grandes e estruturados, caem (acidentalmente) de divisão e ja sobem no ano seguinte certo? Assim como fizemos em 2014. Se repetirmos agora, fica provado o lastro da Macaca e o abismo que existe entre gfc e Ponte Preta.

    • Tozin, é melhor você deixar o Chico Fundamentalista com as ideias dele. Encarar erros como meros acidentes é o caminho para o fracasso. O segredo do sucesso é admitir os erros, para então aprender com eles.

      Eu quero só ver esse suposto abismo entre Guarani e AAPP dentro de campo, quando o derbi chegar e a bola rolar. É aí que eu quero ver onde vai parar essa prepotência toda da AAPP.

      Prevejo um ano de muitas felicidades bugrinas!

      • Chico Fundamentalista

        Vou resgatar esse topico pra vir comentar após o Derbi… Vc opina apenas baseado em paixão, sem fundamentos nenhum.

        • Chico Fundamentalista, parabéns pela sua paciência com esses bugrinos que sabem de tudo, até do que está por vir. Tem outra profecia “humilde” deles pra lembrarmos: em 10 anos eles vislumbram ao menos um titulo expressivo, e participar de ao menos uma Libertadores da América…só rindo mesmo kkkkk

          • Que bom que você anotou. Isso não tem a ver com humildade e arrogância, e sim com vontade de vencer e planejamento estratégico. Fico feliz que tenha anotado!

        • Faça esse favor para nós, Chico. Vou cobrar.

  12. Sobre e 10 anos a gnt estar disputando titulo expressivo? Ai já não sei.. foram tantos e tantos mandos e desmandos… Que hoje em dia eu vejo o GUarani ultrapassado em 10 anos pelos grandes times…
    Pra daqui 10 anos o GUarani estar brigando na parte de cima da tabela da série A o projeto todo tem que ser extremamente sério e pragmático… seguindo um planejamento estratégico e financeiro a risca.
    Se não for levado a sério um projeto de terceirização do setor de futebol, nem adianta sonhar com nada…
    Até pq antes de tudo precisa ser definido a situação do Estádio, CT, clube social, etc etc etc

    • Chico Fundamentalista

      O que resta ao gfc é exatamente isso que vc disse. Sonhar! Percebe a diferença? Vocês sonham que toda plano de restruturação (que nem existe no papel) aconteça a risca e seja executado por pessoas serias, competentes e honestas (também não existe no gfc essas pessoas).
      Ou seja, isso não passa de uma fantasia, de um delírio de torcedor, de fé.
      Eu não tenho fé em absolutamente nada. Eu contemplo resultados e dados, o que é bem diferente. Não preciso ter fé pra saber que 2+2 é igual a 4. Não preciso ter fé pra saber o estádio Moises Lucarelli pertence somente a Ponte Preta. E por ai vai…
      Voces precisam, antes de querer medir forças com o Audax ou o RB Brasil, passar por todo processo de profissionalização que a Ponte passou (desde de 1997) e renascer para o futebol. E entendam de uma vez por todas, o gfc de 1978 nunca mais existirá. Nunca! Mesmo que deus assuma a presidência do clube.

      • Frases pinçadas pelo Rodrigo… ops, quis dizer, a dedo:
        “E assim como em 2014, vamos bater e subir.”
        “A Ponte enfim começará a colher esse frutos! Nossos times sub17 e sub20 estão voando!”
        “Quem conduzirá a Ponte a elite novamente será – em boa parte – essa molecada!”
        Não tem fé em NADA? Será que quem está sonhando é APENAS a torcida do Guarani?

      • Chico, posso aproveitar o gancho para fugir um pouco do assunto?

        Chico, não ter fé é impossível. Todo mundo vive tendo fé o tempo todo. Até o ateu tem fé. É irônico mas é verdade. Todos acreditam em coisas que não podem provar, quer seja que existe divindade criadora, ou que houve uma explosão cósmica que teria originado o universo, ou que a matéria é eterna, ou que a razão humana tem plena capacidade para avaliar a realidade com exatidão, ou que o conhecimento advindo dos sentidos tem correspondência fidedigna com a realidade, ou que o ser humano tem algum tipo de valor intrínseco, etc, etc, etc.

        Ninguém pode, absolutamente, provar nada disso que afirmei acima, mas pelo menos em uma dessas coisas, todo mundo acredita, quer tenha consciência, quer não, quer assuma, quer não. Se assim não fosse, a vida perderia todo o sentido e o caos epistemológico se estabeleceria.

        Por isso, a questão não é decidir entre ter fé ou não, mas sim em que você vai ter fé.

  13. Venho por meio desta nota anunciar o fim de minha participação neste site. Serei apenas um leitor. A razão para isso é que minha identidade, que deve ser mantida em secreto, está correndo o risco de ser descoberta. Ninguém pode saber quem eu sou. Aliás, vocês não imaginam que eu sou. Se alguém suspeita, fale comigo no Facebook. Tudo que vocês precisam saber de mim é que sou bugrino de coração. []s

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *