domingo , 22 outubro 2017
Home / Imagens / Triunfo de Eduardo Baptista em 2016, base perde espaço para veteranos em nova versão da Ponte Preta

Triunfo de Eduardo Baptista em 2016, base perde espaço para veteranos em nova versão da Ponte Preta

Jeferson, Matheus Jesus, Ravanelli, Léo Cereja… Alguns dos jovens pontepretanos criados pela de base do clube e que receberam chances com Eduardo Baptista em 2016. Eles tiveram participação ativa na campanha histórica da equipe no Campeonato Brasileiro. A Macaca terminou entre os dez melhores times da Série A e muito distante da zona de rebaixamento. Hoje, brigando contra a degola, ver atleta oriundo da base participando dos jogos da Ponte virou exceção.

Considerando que Jeferson virou realidade, o único atleta da base que vem recebendo atenção é o atacante Felipe Saraiva. Mas com Eduardo Baptista participou apenas do primeiro jogo do técnico, na derrota para a Chapecoense por 1 a 0, em Santa Catarina, no primeiro tempo de um jogo.

Diretoria e comissão técnica decidiram trocar a juventude pela experiência em 2017. Após o jovem Reynaldo se destacar na campanha do Paulistão, o zagueiro perdeu espaço para a chegada de Rodrigo, de 36 anos, no elenco profissional. Matheus Jesus foi negociado com o futebol português e repassado ao Santos, e Jorge Mendoza, de 28 anos, e Jean Patrick, 25, foram os escolhidos para a posição. O centroavante Yuri, após alguns gols no Paulistão, foi preterido para a chegada do experiente Léo Gamalho.

O último exemplo foi após a saída de Ravanelli. Revelado pela base da Macaca e camisa 10 durante o primeiro semestre da equipe, foi substituído por Renato Cajá e Xuxa, mas os dois substitutos enfrentaram problemas físicos e técnicos. Xuxa, inclusive, foi negociado com o Figueirense. Cajá segue entregue ao departamento médico e longe de voltar.

Se jovens em ascenção se destacaram entre 2016-2017 no Moisés Lucarelli, como Clayson, William Pottker e Matheus Jesus, o principal protagonista no atual momento é um dos mais velhos da competição: Emerson Sheik. O atacante de 39 anos tem sido um dos destaques da equipe pontepretana na campanha para se afastar da zona de rebaixamento e um dos atletas isentos das críticas dos torcedores.

(texto e reportagem: Júlio Nascimento)

Veja Também

CAIQUE2

Caíque quebra jejum de 10 jogos, encerra sina dos atacantes e mira artilharia do Guarani na Série B

Gol de zagueiro, lateral, volante ou de Fumagalli… Os atacantes do Guarani passaram a ser ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *