quarta-feira , 21 novembro 2018
Home / Destaque / Arquibancada: Ponte Preta caminha a passos largos para 21 anos atrás

Arquibancada: Ponte Preta caminha a passos largos para 21 anos atrás

Se o objetivo de Sérgio Carnielli é devolver a Ponte Preta de onde ele a tirou há 21 anos, parabéns, está no caminho certo! Se isso ocorrer, só faria uma exigência como torcedor: gostaria que a dívida do clube fosse a mesma de 1997.

Há alguns posts, convoquei a nação pontepretana para apoiar incondicionalmente os jogadores e comissão técnica da Macaca. Calma, ainda não desisti disso, mas os atletas e João Brigatti precisam colaborar para haver uma simbiose e tudo se encaixar.

A torcida da Ponte é sofrida e maltratada por sua diretoria há anos. Rebaixamentos constantes, negociações estranhas, dívidas impagáveis, declarações de diretores incompreensíveis. Enfim, a relação já está estremecida, caótica e praticamente insustentável.

Todos nós sabemos que o “presidente” Abdalla não é o real comandante da Ponte, mas sua viagem para Rússia é tão incompreensível quanto absurda.

A indiferença que se vê nessa “puxada de saco da CBF” – que sempre que pôde nos prejudicou – é reflexo do que tem acontecido com o time nos últimos anos. Assusta, e muito, ver um time com as tradições da Ponte Preta patinando no meio da tabela em um campeonato de nível técnico tão fraco como a Série B.

Exemplifico as atitudes recentes dos jogadores expulsos e traço um paralelo entre o caso do zagueiro Rodrigo, frente ao Vitória, na reta final do Brasileirão do ano passado.

Se no jogo desta última terça-feira houvesse alguma classificação ou rebaixamento em disputa, a reação da torcida seria semelhante ao que ocorreu naquele fatídico episódio de 26 de novembro de 2017. Explica-se a explosão de raiva da torcida – não há como concordar e justificá-la –, mas é o comportamento do apaixonado torcedor ao que vem ocorrendo sob comando de Sérgio Carnielli, Abdalla, Vanderlei Pereira e companhia.

Quem seria o técnico fora o “interino” João Brigatti para arrumar esse time? Eu acho que não existe um nome no mercado brasileiro para isso.

Nosso problema não é treinador. É jogador! Se fosse técnico, por mais limitados e criticados – com razão -, Doriva e Eduardo Batista teriam tirado algo a mais dos jogadores que aí estão. A semelhança sob comando de Brigatti com os outros dois é que o time não engrena. Patina e não evolui. Isso é elenco e não treinador. Se fosse comandante, as trocas surtiriam efeito.

Do jogo diante do CSA, não vou falar nada, só lamentar.  A Ponte Preta é movida pela paixão de sua torcida e não por seus gestores que beiram a incompetência.

Reflexão: Há um ano, dizíamos que o nosso rival da cidade estava falido, hoje estamos separados por um ponto.

(análise: André Gonçalves)

Veja Também

Ponte Preta: da melancolia ao triunfo. Por André Gonçalves

O ano de 2018 caminhava para ser um ano para se esquecer. Melancólico. Motivos não ...

17 Comentários

  1. Pois é, André Gonçalves. Você e a torcida da AAPP são todos arrogantes. Estão tendo o que merecem. Ficavam dizendo que estávamos falidos. E agora? Cadê a prepotência? Cadê o nariz empinado?

    Entenda de uma vez por todas: AAPP nunca foi grande e nunca será. É um time pequeno, eterno coadjuvante, cuja glória se limita ficar em segundo lugar ou ganhar torneios do interior.

    Aprendam a ser humildes! Torcida arrogante ao extremo, assim é a torcida da AAPP. Fora a violência, sua marca registrada em Campinas.

    • Galinhachega de cacarejar

    • Deixem o Serjão cobrar a divida e vão ver o que é um time falir.

    • Obrigado pela audiência!
      Não estou escondido atrás de um nome fictício para ofender ninguém.

    • Não atribua valores históricos da sua torcida para torcida da Ponte…..historicamente vcs sempre foram arrogantes, prepotentes e racistas.

    • Desculpa, esqueci de dizer.. quanto a violência, na torcida de vcs só tem santo né……nunca depredaram estádios, nunca matou ninguém com tiro nas costas e nunca fizeram emboscada pra pai de família.
      Antes de apontar o dedo, pensa um pouco no q vai falar

    • Dois clubes falidos, administrados por 2 diretorias incompetentes .
      Caiam na real, a época gloriosa já passou para os 2 agora só sobrou migalhas.
      O fato é os 2 ainda acham que são grandes, ainda não se deram conta que são muito pequenos.
      Não é título passado e campanhas memoráveis que irão manter esses times vivos.
      Quem viu , viu!! !!!!

  2. Texto muito bom, sintetizou tudo.
    Parabéns!

  3. Lucas(Sem me esconder)

    Engraçado o empenho do “Profeta” em inverter as características dos times de Campinas. Se são verdadeiras ou não, não sei. Mas sempre se esforça num malabarismo retórico rebuscado e pedante pra tentar atribuir significados para AAPP e à nossa torcida que não condiz com nossa história. Chega, já cansou, mud o disco e estratégia.

  4. Lucas Teixeira (Sem me esconder)

    Engraçado o empenho do “Profeta” em inverter as características dos times de Campinas. Se são verdadeiras ou não, não sei. Mas sempre se esforça num malabarismo retórico rebuscado e pedante pra tentar atribuir significados para AAPP e à nossa torcida que não condiz com nossa história. Chega, já cansou, mud o disco e estratégia.

    • Pois é, esse Profeta da Tribo, o “bugrino humilde” (quem diria que existe isso rs rs rs), teve até a pachorra de dizer que o guarani é o time do povo em Campinas… e para o time dele, num arroubo de humildade, falou que planejam um ou dois titulos expressivos nos próximos 5 anos, oncluindo participação na Libertadores…

  5. Os campeões mundiais de arrogância, jogando para a torcida da Ponte, um “mérito” que todo mundo que vive um pouco no Futebol sabe que é uma característica deles.

  6. Vcs , torcedores da pet preta, se tornaram arrogantes, com essa falsa sensação de organização, gestão de futebol e times razoaveis.

    Porém o sonho acabou. Entenderam que foi só o Carnielli parar de colocar dinheiro, o castelo de areia ruiu.

    Arrogaram que o Guarani estaria fadado a extinção, que o modelo de gestão é o de vocês… A ilusão foi tão grande que viraram arrogantes.

    A torcida do Guarani foi arrogante, pagou por isso. Hoje é uma torcida sofrida que quer ter esperança em resgatar sua dignidade nacional.

    Já vocês, se tornaram arrogantes e agora estão pagando. E a tendencia é pagar mais ainda.

    CUSPIU PRA CIMA, CAIU NA CARA.

    • Exatamente. Se a torcida bugrina foi isso tudo o que vocês falam, hoje é dia da torcida pet pagar com o mesmo erro. Sem ter ganho nem um título de truco vocês se auto proclamavam modelo de gestão. Agora o fundo do poço se abre e vocês afundam. Não tem dinheiro pra nada e quem bancava todas as despesas está “tirando o time de campo”. Torcida pequena, arrogante, perdedora e continua sem título.

    • DJMANINHA 10, “porfeta”,

      meu(s) caro(s), essa mesma gestão que você(s) supõe(m) e generaliza(m) como um perfil da torcida, ela foi e é criticada veementemente pela nossa torcida o tempo todo. Os motivos das críticas estão diretamente relacionados pela gestão ser incompatível com o perfil histórico da Ponte e poder aquisitivo do grosso de sua torcida. Preços de ingressos incompatíveis, preço de camisa incompatível, eventos de acesso incompatível, ações de marketing direcionadas para setores reduzidos da torcida.

      Por fim, você(s) para além do achismo e ódio contra Ponte e contra nossa torcida, não possui conhecimento e embasamento pra julgar como julga. Mas enfim, nas redes sociais cada ‘doido’ escreve aquilo que quer. Vá ao estádio da Ponte, dê uma olhada na torcida, converse com torcedores depois escreva o que viu, o que ouviu e sentiu. Se seu objetivo é querer ter propriedade pra julgar, pelo menos faça certo e com argumentos concretos. Caso contrário, não sinta obrigado a comentar tudo o que vê pela frente e da forma que supõe como é ou como foi.

    • DJMANINHA 10, “Profeta”,

      meu(s) caro(s), essa mesma gestão que você(s) supõe(m) e generaliza(m) como um perfil da torcida, ela foi e é criticada veementemente pela nossa torcida o tempo todo. Os motivos das críticas estão diretamente relacionados pela gestão ser incompatível com o perfil histórico da Ponte e com o poder aquisitivo do grosso de sua torcida. Preços de ingressos incompatíveis, preço de camisa incompatível, eventos de acesso incompatível, ações de marketing direcionadas para setores reduzidos da torcida.

      Tudo isso foi criticado nos últimos 4 anos. Posso dizer que já faz no mínimo uns 4 anos que não há sintonia entre torcida e a gestão. O jogo contra o Grêmio em 2014 em Campinas, a torcida já anunciava na faixa:”Diretoria Prostituta”.

      Por fim, você(s) para além do achismo e ódio contra Ponte e contra nossa torcida, não possui conhecimento e embasamento pra julgar como julga. Mas enfim, nas redes sociais cada ‘doido’ escreve aquilo que quer. Mas se quiser julgar, vá ao estádio da Ponte, dê uma olhada na torcida, converse com torcedores depois escreva o que viu, o que ouviu e sentiu. Se seu objetivo é querer ter propriedade pra julgar, pelo menos faça certo e com argumentos concretos. Caso contrário, se for para ofender e não para curtir a rivalidade, não sinta obrigado a comentar tudo o que vê pela frente e da forma que supõe como é ou como foi.

    • Nada ai do galinheiro ao elenco… tudo emprestado!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *