sexta-feira , 20 Abril 2018
Home / Artigos/Opinião / Como o torcedor pontepretano alienado encara a queda para a Série B

Como o torcedor pontepretano alienado encara a queda para a Série B

Somos humanos. Falhos. Temos dificuldades em assumir fracassos. É uma admissão de culpa da nossa finitude. Engana-se quem imagina o futebol distante deste cenário. Especialmente em caso de rebaixamento. Nos últimos dias, o silencio impera no Moisés Lucarelli. Nenhuma palavra. Nenhuma declaração. Em contrapartida, justificativas surgem para defender os protagonistas do vexame. Nos últimos dias, perdi a conta de torcedores com os quais conversei. Em um ato de amor e desespero, não aceitava eleger vilões da queda. Um típico torcedor alienado. Asseguro: não são poucos.

Muitos torcedores defendem Gustavo Bueno e afirmam que seu trabalho foi prejudicado pela falta de recursos por parte da presidência. O torcedor alienado alega que Gustavo deveria ser ovacionado pela campanha do Brasileirão de 2016. Foi ele quem trouxe Felipe Azevedo, Roger, Pottker, Clayson, entre outros. Logo, o saldo é positivo.

Com a paciência esgotada, o jeito é relembrar ao torcedor alienado que deveria mirar o canhão em cima do diretor de futebol, Hélio Kazui, qué não falou, declarou ou justificou nenhum fracasso em 2017. Certamente, este torcedor dirá que o noviciado dele no mundo da bola lhe isenta de culpa. Mais: que sua atuação nos bastidores não é vista e que evitou muitos conflitos e que será essencial na próxima gestão.

O torcedor alienado isenta o presidente Vanderlei Pereira. Como deixar de cobrar um dirigente capaz de contratar um jogador como Xuxa, sem condições de disputar a divisão de elite? Nada disso. Esqueça. O torcedor alienado aparecerá para lhe lembrar do talento de Vanderlei para os números, a eficiência de deixar as contas em dia, entre outros atributos. Irritado no último grau e com sede de constatar quem é o culpado pela debacle no gramado, algum detrator elege Sérgio Carnielli como inimigo número e responsável direto pela queda. O torcedor alienado vai apresentar um contraponto surrado e quase vencido, mas eficiente: Carnielli tirou a Ponte Preta da miséria há 20 anos, mantém ela de pé e, por isso, não pode ser cobrado e nem estigmatizado. Afinal, nem pode ser encurralado porque está destituído do poder.

Você respira fundo e argumenta: os treinadores foram os encarregados pela desgraça do Majestoso. Missão frustrada. O torcedor alienado aparecerá para relembrar que Gilson Kleina foi vice-campeão Paulista e após sair de Campinas teve sucesso na Chapecoense. Eduardo Baptista? Errou o alvo. De novo. Ok, o alienado pontepretano vai admitir que colocar Rodrigo como titular foi um erro crasso. Mas vai dizer que quando o técnico chegou o time já estava em queda livre e sua performance na Macaca em 2016 atesta sua competência.

Ah, então os jogadores estão no topo da cadeia do revés? Na visão do torcedor alienado não é bem assim. Eles foram contratados, não pediram para encontrar-se ali e não podem ser eleitos como algozes.

Ao final, o torcedor alienado tenta lhe convencer que o rebaixamento foi fruto do acaso, um acidente de percurso ou deslize divino. E dá um sorriso que prenuncia novos tempos de fuga da realidade. Sorte dos vilões do rebaixamento.

(análise de Elias Aredes Junior)

Veja Também

Cristaldo decide voltar apenas depois da Copa do Mundo e frusta planos da Ponte

O que era expectativa tornou-se pesadelo. Nesta quinta-feira, o atacante afirmou que só volta ao ...

4 Comentários

  1. Aredes ,
    Mude o termo torcedor alienado para CARNIELLETTES, pois estes pois os tais são amantes daquele lixo.
    Agora, aponte sua alça de mira a todos aqueles que você mencinou e ao mesmo tempo àqueles cegos conscientes da situação, os tais torcedores bajuladores do Lixo.
    Sgora, aponte para vocês da mídia também, pois não tocam na ferida por terem medo, ou por comactuarem com o Lixo também. Senão:
    Não li uma linha sequer, em seus artigos, sobre a canalhice em contratar 130 vagabundos armados para conduzir uma eleição canalha,
    Ou vocês mencionar que o conselho da Ponte está infestado de empregados da TECNOL, bancados pelo Lixo para garantir sua permanência no poder lá dentro.
    Ninguém fala ou levanta uma fagulha para falar de um time escalado pelos empresários.
    Enfim…
    Os pontepretanos entendem que ela está sitiada por lazarentos e não presidida por homens de caráter.
    Espeto em 2018 não venhamos e ficar igual as chickens, sonhando com migalhas.
    Vocês, jornalistas e comentaristas esportivos de Campinas também são responsáveis pelo lixo em que se encontra o futebol campineiro.

  2. Chora…o caos na virgem do Proença está apenas começando

  3. Aredes ,
    Mude o termo torcedor alienado para CARNIELLETTES, pois os tais são amantes daquele lixo.
    Agora, aponte sua alça de mira a todos aqueles que você mencinou e ao mesmo tempo àqueles cegos conscientes da situação, os tais torcedores bajuladores do Lixo.
    Agora, aponte para vocês da mídia também, pois não tocam na ferida por terem medo, ou por compactuarem com o Lixo também. Senão:
    Não li uma linha sequer, em seus artigos, sobre a canalhice em contratar 120 vagabundos armados para conduzir uma eleição canalha,
    Ou vocês mencionar que o conselho da Ponte está infestado de empregados da TECNOL, bancados pelo Lixo para garantir sua permanência no poder lá dentro.
    Ninguém fala ou levanta uma fagulha para falar de um time escalado pelos empresários.
    Enfim…
    Os pontepretanos entendem que ela está sitiada por lazarentos e não presidida por homens de caráter.
    Espero que em 2018 não venhamos e ficar igual as chickens, sonhando com migalhas.
    Vocês, jornalistas e comentaristas esportivos de Campinas também são responsáveis pelo lixo em que se encontra o futebol campineiro.

    • Geraldo, os problemas da eleição foram retratados por este Só Dérbi, assim como as criticas durante o Campeonato Brasileiro. Inclusive matérias foram feitas sobre a influência de empresários na montagem do time. Lamento que não leitor assíduo do portal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *