Denúncia de irregularidade estremece as categorias de base do Guarani

0
737 views

Ressuscitado pela boa campanha na Copa São Paulo de Futebol Junior, as categorias de base do Guarani sofreram na tarde desta sexta-feira um novo abala com denúncias publicadas no blog do jornalista Paulo Cézar Andrade, o Blog do Paulinho e que colocam na berlinda o ex-presidente Horley Senna e o ex-goleiro e ex-preparador de goleiros do Guarani, Gleguer Zorzin. Ambos negam as acusações.

De acordo com o relato da reportagem, Senna utilizaria “laranjas” (sob promessa de 10% à título de comissionamento) para vender vagas a jogadores (em regra, meninos) no clube, dissimulando os recebimentos em contratos fictícios de patrocínios. Gleguer pela denúncia de uma das pessoas seria o ex-arqueiro, que nega ter participado de qualquer esquema de corrupção.

A matéria cita o caso vivido por Marco Antonio que em dezembro de 2017 teria entregue R$ 15 mil a dupla acusada para facilitar a entrada no Guarani de seu filho, Diogo, de 15 anos. Uma das provas apresentadas por Paulinho foi um deposito feito por Marco Antonio em 11 de dezembro de 2017, às 12h03m, no banco Itaú, agencia 0277, conta corrente nº 86481-5, em nome de Gleguer Zorzin. O goleiro afirma que este dinheiro foi acerto de patrocínio e que posteriormente o dinheiro foi devolvido ao Guarani em duas parcelas. Posteriormente, o Guarani foi integrado em fevereiro e dispensado três meses depois. Após a posse de Palmeron Mendes Filho, o ex-presidente cuidou das categorias de base, mas saiu logo depois, o que deu início ao racha político.

Em contato com a reportagem do Só Dérbi, o jornalista Paulo Cezar Andrade, o Paulinho, afirmou que chegou a denúncia por intermédio dos relatos de três pais de garotos e que decidiu revelar-se e denunciar.

Horley Senna, por sua vez, refuta as acusações e avisa que irá correr atrás de seus direitos. A seguir a resposta do ex-presidente: “Estou propondo ação contra o BLOG (publicar inverdades) e Dra. Gislaine por ameaça. Tenho documento que encaminhei para o presidente do conselho deliberativo em 15/01/18, esclarecendo que os valores de quatro atletas, repassados a  título de patrocínios pelos seus representantes à instituição, tinha finalidade da custear as despesas dos mesmos na condição de internos.

Não obstante a cobrança para atletas internos, pelos motivos mensurados no documento, foi autorizado pelo presidente do CA (com muita relutância).

NUNCA e em nenhum momento, recebi nenhum valor seja a qual título for de ninguém.

No caso específico do atleta Diogo, eu já não estava mais fazendo parte da diretoria mas como as tratativas, foram iniciadas no meu período, acabei participando da conclusão do patrocínio, por telefone. Reitero valores destinados a instituição.

Apareço em foto com o garoto à pedido do pai, e por ter sido presidente, num sábado chuvoso  onde eles vieram visitar o estádio.

Por fim não dispensei nenhum atleta que faz parte do documento, encaminhado ao presidente do CD em 15/01/18, pois não era mais diretor da base”.

O ex-goleiro Gleguer também afirmou que não tem nada a temer. ”Se ele (o jornalista) disse ,vai ter que provar. Estou com minha consciência tranquila. Tenho todas as provas. E estou tranquilo”, afirmou. O presidente Palmeron Mendes Filho foi procurado mas não foi encontrado para falar sobre o assunto. Já a advogada dos garotos, Gislaine Nunes foi contactada e confirmou que processará todos os envolvidos na suposta irregularidade. (Texto e reportagem: Elias Aredes Junior)

 

A íntegra da matéria você encontra neste link:

 

Deixe Um Comentário