domingo , 20 janeiro 2019
Home / Destaque / Guarani contrata e monta seu time. Por que perde atletas tão facilmente?

Guarani contrata e monta seu time. Por que perde atletas tão facilmente?

Os amigos e companheiros de profissão Marcos Luis e Julio Nascimento, da Rádio Bandeirantes, noticiam que dois jogadores estão na mira do Guarani: o goleiro Kléver, ex-Atlético Goianiense, e o zagueiro Thalisson Kelven, do Coritiba. Eles seriam utilizados substitutos do goleiro Agenor, agora no Fluminense e também de Phillipe Maia, novo reforço do Vila Nova.

Já afirmamos o bom nível das contratações e os riscos que pode acontecer pela escolha de atletas que viabilizam uma média de idade de 27,4 anos. Tal fato não pode esconder um fato incomodo: por que os jogadores não pensam duas vezes e saem do Guarani? Por que os bem intencionados Marcus Vinicius Beck Lima e Fumagalli por vezes não conseguem

encaminhar uma contraproposta?

Senão vejamos: o Guarani está em uma metrópole, na terceira cidade mais importante do estado de São Paulo e disputará o regional com maior visibilidade. De quebra, estará na Copa do Brasil e posteriormente não será coadjuvante na segundona nacional. Apesar das falhas de infraestrutura, existem motivos de sobra para qualquer atleta aceitar vir ou permanecer no Guarani. O que acontece? Nem a questão financeira pode ser colocada na prateleira, diante da fiscalização ferrenha da Justiça do Trabalho e os poucos atrasos verificados no elenco profissional em 2018.

Coloque como outro ingrediente o fato do Guarani disputar três jogos contra o maior rival em 2019, o que lhe proporcionará automaticamente uma visibilidade capaz de gerar bons contratos no futuro.

Ou seja, as saídas não deveriam ser tão continuas e constantes. Argumentos existem para a montagem de uma boa equipe e a manutenção das peças principais. Espera-se que os dirigentes façam uma autocrítica para checar se o problema não é com eles.

(Artigo escrito por Elias Aredes Junior)

Veja Também

Mazola coloca superação como palavra chave para vencer Oeste

O técnico da Ponte Preta, Mazola Junior, resolveu não divulgar a escalação antes do jogo ...

2 Comentários

  1. Sério que vc não sabe por que saem facilmente? Então vou te explicar. Philipe Maia e Poveda são jogadores do Nenê Zini, que está em guerra com a diretoria do Guarani. Agenor recebeu uma proposta do Fluminense, que vai jogar a Série A, como impedir? Me diga: qual outro jogador saiu contra a vontade do Guarani? Os demais que saíram o clube dispensou ou venceu o contrato e aceitaram outras ofertas, natural no mundo da bola. Inclusive com o seu time do coração, a AAPP.
    Vc não fala do Carlinhos, que teve proposta do Fluminense e preferiu vir para o Guarani, e o Diego Cardoso, que teve proposta do outro time da cidade.

  2. Quanto ao comentário do José Rodrigues aí em cima, uma constatação: Limpamos o Nene Zini do Guarani. Sobrou um ou outro da base, mas pode levar embora tb. Expurgamos um cancro após mais de 20 de anos sugando o Bugre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *