quarta-feira , 21 novembro 2018
Home / Destaque / Ponte Preta e os opostos de 2018: pior ataque e segunda melhor defesa do século

Ponte Preta e os opostos de 2018: pior ataque e segunda melhor defesa do século

Com início de 2018 conturbado, a Ponte Preta teve fraca participação no Campeonato Paulista, boas apresentações na Copa do Brasil e, até agora, tímida na Série B. Nesses três campeonatos, a Macaca somou 15 participações em seus domínios, mas conseguiu apenas quatro vitórias, gerando opostos dentro de uma mesma equipe: pior ataque e a segunda melhor defesa do século.

Com apenas onze gols sofridos, a equipe campineira ostenta importante marca defensiva como mandante, se comparada com os anos anteriores. Os números são são superados em 2017, quando a Alvinegra somava dez gols contra e se encontrava em situação melhor, tendo disputado a final do Campeonato Paulista.

Analisando o ataque, os números são decepcionantes e inferiores a todas as temporadas desde 2001. Com dez gols marcados – nove no Majestoso e um no estádio Nabi Abi Chedid -, o time de Doriva tem a pior marca do século, superando a de 2014, quando a equipe pontepretana balançou as redes em 19 oportunidades nas suas 15 partidas em casa.

O artilheiro da Alvinegra, até o momento, é o atacante Felippe Cardoso, com quatro gols marcados. No entanto, o atleta convive com jejum de mais de um mês sem balançar as redes e vem sendo alvo de críticas devido ao enorme número de gols perdidos. Como consequência, diante do Atlético-GO, em Bragança Paulista, o jovem de 19 anos foi sacado do time para a entrada de Júnior Santos. Mesmo assim, o novo camisa nove, apesar da boa movimentação, não conseguiu balançar as redes.

NÚMEROS DE GOLS PONTEPRETANOS NO SÉCULO EM 15 JOGOS:

2001 – 41GP, 17GC

2002 – 29GP, 12GC

2003 – 24GP, 18GC

2004 – 22GP, 20GC

2005 – 30GP, 22GC

2006 – 21GP, 25GC

2007 – 27GP, 19GC

2008 – 30GP, 17GC

2009 – 33GP, 21GC

2010 – 24GP, 22GC

2011 – 22GP, 15GC

2012 – 31GP, 18GC

2013 – 24GP, 20GC

2014 – 19GP, 16GC

2015 – 32GP, 11GC

2016 – 26GP, 15GC

2017 – 20GP, 10GC

2018 – 10 GP, 11 GC

(texto e reportagem: Eduardo Martins/foto: Fábio Leoni – Ponte Press)

Veja Também

Ponte Preta: da melancolia ao triunfo. Por André Gonçalves

O ano de 2018 caminhava para ser um ano para se esquecer. Melancólico. Motivos não ...

3 Comentários

  1. Sabe o que é engraçado? O mal da AAPP até pouco tempo era o Gustavo Bueno. Pois bem. Mandaram o cara embora. Trouxeram esse Ronaldão, figura decorativa. E aí? Está cada vez pior. Prova viva de que o buraco é mais embaixo. A instituição AAPP está com os alicerces corroídos. Por mim, tomara que desabe mesmo.

    • Chico Fundamentalista

      Profeta, as vezes o clubismo o faz digitar muita besteiras. O GB e o Ronaldão são figuras decorativas mesmo. Quando o caldo entorna, a diretoria entrega a cabeça deles. Todo clube tem esses bodes expiatórios. Ponto.
      Agora, a gestão da Ponte Preta na era Carnielli é muito boa. Se analizar os últimos dez anos muita coisa melhorou. O ano passado não foi bom, fato. Mas estamos no caminho certo. Muito diferente do gfc. Perderam o estádio, o clube social nao existe a muito tempo, vao terceirizar o departamento de futebol…Isso sim é o fundo do poço.

  2. Palmeron:

    E o acordo na Justiça do Trabalho como está ?

    A nova Arena já tem o terreno definido ?

    R$ 350.000,00 por mês estão sendo pagos ?

    O centro de treinamento ?

    O alojamento ?

    A nova sede social ?

    As dívidas trabalhistas já foram pagas ? Quanto ainda devemos ?

    As dívidas fiscais ? Devemos quanto ?

    Só ouço falar em parcerias com empresários. E os projetos para o clube ?

    A coletividade bugrina gostaria de saber.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *