domingo , 24 fevereiro 2019
Home / Destaque / Ponte Preta: O significado político da retomada de sócios na Unidade do Jardim das Paineiras

Ponte Preta: O significado político da retomada de sócios na Unidade do Jardim das Paineiras

Em uma matéria de autoria do departamento de comunicação e publicada neste domingo, a diretoria executiva da Ponte Preta anunciou a reativação e recebimento de novos sócios da Unidade do Jardim das Paineiras. O projeto é reativar eventos no local, incentivar as aulas de modalidade e mediante ao pagamento de uma pequena taxa, viabilizar a participação do Sócio Torcedor. Pois esta atitude singela é uma derrota imposta ao grupo político comandado por Sérgio Carnielli. Uma atitude que representa o distanciamento do atual presidente José Armando Abdalla Junior com quem ditava as cartas até bem pouco tempo. A retomada da Unidade Paineiras tem forte conotação política, já que por muitos anos foi um espaço informal de debates e discussões dos formadores de opinião pública da Macaca.

Com Vanderlei Pereira na presidência, o plano era bem diferente. Há dois anos, o clube tinha um déficit de R$ 50 mil mensais para deixar a Unidade Paineiras em pé. O plano era alugar para uma Igreja Cristã Evangélica. O valor do aluguel seria para cobrir o déficit e deixá-lo em mínimas condições. Eis que no dia 31 de janeiro de 2017, a reunião do Conselho Deliberativo não teve continuidade após pressão da torcida. O ex´-presidente do conselho, Mauro Zuppi registrou um Boletim de Ocorrência.

E para justificar o aluguel, a então diretoria, comandada por Vanderlei Pereira e que tinha o apoio de Carnielli emitiu uma nota oficial com suas explicações. Dizia que  a unidade tinha  25 sócios patrimoniais e que no período de 2010 a 2016, o prejuízo acumulado era de R$ 4 milhões.A então diretoria alegou que medidas foram tomadas como aulas de diversas modalidades, franquia da escolinha de futebol da Ponte, aluguel de espaços, mas o quadro negativo continuou. Não houve saída e funcionários foram demitidos. Na época, estava descartada a venda do espaço.

Como Abdalla atendeu ao pedido de torcedores e conselheiros, um novo desafio é imposto: o local precisa ganhar vida. Traduzindo: sócios. Se as promoções não fizeram o local gerar receita e bom volume de frequentadores, fatalmente Carnielli e seus aliados terão um motivo a mais para espinafrar Abdalla. Se a estratégia tiver êxito, todos que estão ao redor de Abdalla serão vitoriosos. O jogo começou. Sem hora para acabar.

(Análise feita por Elias Aredes Junior)

Veja Também

A responsabilidade dos jogadores pontepretanos: dois jogos com cara de decisão e que podem determinar o restante do ano

Os jogadores da Ponte Preta talvez não estejam sintonizados na realidade, mas nos próximos dias ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *