Porque eles escolheram acreditar

1
626 views

Hoje pela manhã encontrei um garotinho de camisa alviverde no sinal. Ele vendia balinhas e eu brinquei com ele: “Vai subir, jovem?!”

– Claro, tio!

Esnobe. Me senti até meio discriminado por aquele ser tão convicto de sua fé. E contestei, menti, só de sacanagem!

– Mas você viu que precisa de 2 a 0?
– E daí?
– Como “e daí”? O time só fez isso uma vez no Brinco
– Tio, aqui é Guarani. Vai uma bala pra ajudar?
– Não, obrigado. Mas sábado você vai ao Brinco?
– Vô nada, tio! Tenho dinheiro não!
– E vai assistir o jogo onde?
– Sei não senhor. Essa hora to no ônibus voltando pra casa.
– Mas então você vai ouvindo a Central?
– Não precisa não, tio. Vai dar Guarani.
– Tudo bem, mas você não vai nem acompanhar o jogo?
– Quando eu chego em casa tá acabando. Aí eu ouço o final. Vai uma bala, tio?
– Não, obrigado. Esse semáforo não anda. Abriu e fechou o sinal, e nada…
– Deu ruim ali na frente, tio. Eleições. Tá tudo parado. Leva uma balinha pra ajudar…
– Pô, jovem, tô só com o cartão. Se eu te encontrar na volta eu pego uma.
– Tudo bem, tio. O senhor é Guarani?
– Não, não sou.
– Ih, é Ponte, é?
– Também não, moleque.
– Você deve torcer pro Corinthians ou Palmeiras então!
– Você é esperto, moleque. Mas sábado vai dar ASA, viu? (só pra sacanear antes de ir)
– Então se o Guarani ganhar domingo que vem você compra cinco balas?
– Ok, compro. Gostei da confiança. Mas… e se perder?
– Perde não, tio. O Guarani não perde…
– Tchau, garoto! Até!
– Aê, leva uma bala aí…
– Tô sem dinheiro físico, fica pra próxima… (interrompido)
– É de presente, tio. Você é legal.
– Valeu garoto. Boa sorte no sábado, tá?
– Fica tranquilo, tio. Vamos subir.

E quando ele grita bem alto “Bugrão!”, sai do vidro o rapaz do carro atrás, chama o garoto e pede “dá 5 balas aí, bugrino!”.

Ele me vê fechando o vidro e grita: “Ae tio! Tá vendo? Esse não vai ter que voltar semana que vem!”.

E sim, eu vou voltar. Claro que vou. Como se ele não soubesse disso desde as 10h deste domingo. Eles escolheram acreditar…

(crônica de Júlio Nascimento)

1 Comentário

  1. História emocionante. Aqui é Guarani. A torcida mais apaixonada do mundo, a única capaz de resistir a tantas desgraças futebolísticas nus últimos anos, mantendo a paixão viva.