Proibição de treino aberto antes do dérbi e a constatação: os integrantes do MP não viveram a infância na plenitude

1
529 views

Tomo conhecimento de que por ordem da Polícia Militar, do Baep e do Ministério Público, as diretorias de Ponte Preta e Guarani não terão a permissão de realizar treinos abertos. No máximo, despedida de delegação. E olhe lá. Junte essa medida com a instituição da torcida única, proibição de bandeiras, instrumentos musicais e todo e qualquer material que possa ser utilizado como “arma”.

Não vou discutir segurança. Eles são pagos para proteger cidadãos. Apesar da constatação inequívoca em Porto Alegre, em que os Grenais contam com torcida mista e espaço para visitante. Meu foco é outro. Aliás, é um lamento. Chego a conclusão, e digo sem qualquer viés de ironia, que os integrantes do Ministério Público e das forças de segurança tiveram uma infância e adolescência muito triste. Sem brilho. Sem ligação afetiva com o futebol.

CONTINUA APÓS A PROPAGANDA

Quem frequenta um estádio desde a infância, mesmo com todos os lances de corrupção e desmandos nos bastidores, nunca, jamais apaga da memória os domingos em que os gramados eram invadidos pela festa intensa do papel picado, do batuque das torcidas organizadas, das bandeiras desfraldadas na comemoração dos gols ou das caravanas para apoiar a equipe de plantão.

Quem é pontepretana tem vários gols para relembrar celebrados colados no alambrado. O bugrino tem uma relação sentimental com o tobogã, com o bandeirão subindo em todos os espaços.

Craques, vitórias inesquecíveis e lances de beleza plástica inestimável fazem parte do pacote de qualquer fã de futebol. O afeto, no entanto, é gerado pela experiência da arquibancada, do abraço involuntário na hora do gol, na imaginação para incentivar a equipe no confronto titânico e épico. Impossível tal memória afetiva apagar-se na vida adulta.

E quem tem tal amor dentro de si luta com todas as forças para eliminar os 6% de baderneiros que estragam a festa do futebol. Em tempo algum pensa em deixar o futebol um jogo amorfo, sem vida e dotado de uma alegria contida e sem sentido. Não aceita cumprir o papel do tio rabugento solteirão ou da tia chata incapaz de vislumbrar beleza na vida. Deve ser duro exercer o papel de estraga prazer.

Repito: no fundo, tenho pena e sou solidário a essas autoridades que só sabem tirar a vida e o sentido do futebol. A lei existe e deve ser cumprida. Só que deve ser muito triste carregar uma alma opaca e cuja função é apenas ver a infelicidade alheia.

(Elias Aredes Junior)

1 Comentário

  1. A diferença entre a segurança pública e a segurança das leis da periferia aonde a lei funciona em jogos do amador nas periferias é raro briga entre torcidas pois na periferia a lei funciona vc vê torcedores com camisa de todos os times e não tem confusão ai eu pergunto pq é nos estádios com policiamento e ninguem respeita digo por mim pm despreparada uma polícia acostumada a invadir presídio cheia de ódio por ter que trabalhar em um domingo junte se a isto a calda de respeito cordialidade com o consumidor ( torcedor) que consome um produto chamado futebol lembro na minha infância eu uma criança de 10 anos indo pra um derby no campo do time la de baixo com o rosto pintado com tinta guache um pm fez eu retirar com água que corria na calçada que perigo uma pintura no rosto de uma criança poderia fazer mas também não poderia deixar de elogiar a polícia de MG no último encontro entre caldense x ponte preta um policiamento humanizado cordial e gentil recebeu a torcida como cidadão do começo ao fim não teve nenhum atrito entre torcida e pm e olha que isto é raro com a torcida da Ponte Tam bem posso parabenizar os pm de diadema agua santa x ponte sub23 pois tive a mesma recepção que tive em MG o que não posso falar da pm de Bragança que nitidamente queria atrito com a torcida já na revista dos ônibus uma falta de respeito com o torcedor insultos loucos pra torcida revidar as investidas deles seguraram os ônibus pra que não desce tempo da torcida chegar no estádio o que fez a torcida chegar após o fechamento das bilheteria no segundo tempo o que fez a torcedores sem poder comprar ingressos invadir o estádio e já com os ânimos aquecido o inevitável aconteceu briga entre torcida e pm não estou justificando mas quando vc trata outra pessoa como animal ela reage como tal

Deixe Um Comentário