A crise política na Ponte Preta foi uma dádiva para Gilson Kleina. Por André Gonçalves

4
790 views

A Ponte Preta fez com o técnico Gilson Kleina o que há muito tempo não fazia com nenhum treinador.
Não vou me recordar o ano e muito menos o treinador que teve prestígio de terminar um ano e prosseguir para temporada seguinte.

A última vez que a Ponte tentou segurar um treinador de um ano para o outro foi, coincidentemente, com o próprio Kleina. Depois daquela incrível arrancada com 7 vitórias e 2 empates em 2018.
Mas por algum motivo desconhecido -só há especulações- o vínculo não foi renovado.

Dito isso, reitero que não entendo o motivo que levou a permanência do treinador para temporada de 2020. Com aproveitamento de rebaixado e muitas vezes, maquiando com boas articulações nas coletivas a própria falta de reciclagem estendendo a sua comissão técnica, Gilson Kleina foi uma tremenda decepção em 2019.
Nada na Ponte Preta me surpreende (nada!). Nem mesmo a permanência do treinador após o vexame e a miséria que foi sua campanha na Série B.

A verdade é que com o racha político na Ponte Preta o maior beneficiado foi o técnico. Mesmo sem ter parte nesse assunto.
A Ponte virou refém do técnico e o técnico sem mercado, refém do clube.

O motivo desse post é para vocês refletirem e deixar algumas perguntas para instigar ainda mais o desconfiado torcedor da Macaca.
Partindo da afirmação que torcemos para que a Ponte Preta faça grandes campanhas na temporada de 2020.
Disseram que teria investimento para isso.

Baseado nessa promessa, faço as perguntas:
– As contratações estão indo nesse sentido (de fazer boas campanhas)?
– Kleina dá sinais que entendeu que a Ponte Preta na figura de seu presidente deu uma chance dele se reinventar?
– Caso o time não “dê liga”, podemos cobrar de quem? Kleina, Gustavo Bueno, Tiãozinho, Carnielli…Quem?
– Quem é o responsável em reaproximar o time da torcida? Ainda não ouvi ninguém nesse sentido. Terminamos a Série B melancolicamente. Restando cinco jogos já estávamos eliminados, sendo três deles em casa. Alguém duvida que haja necessidade de interação com as arquibancadas?

Espero e torço muito para “dar liga” e conseguir as vitórias que tanto precisamos para sobrevivência financeira do clube.

4 Comentários

  1. André, em 2018 o vínculo não foi renovado pra 2019 porque pra vir pra Ponte em 2018 e fazer aquele “milagre” na série B, Kleina condicionou o acerto dos atrasados da outra passagem dele pela Ponte. A diretoria disse ok no primeiro momento, porém não cumpriu o acordo financeiro. Em alta devido a excelente final da Série B, ele bateu na mesa, se só renovo se receber os atrasados, a Ponte não pagou e ele foi embora. Simples assim.

    Agora as respostas….

    Respostas 1) Não. Jogadores contratados pro paulistinha não inspiram nenhum alento ao torcedor que o time fará boa campanha, prevejo que o time será mera água de salsicha, cujo objetivo é em primeiro lugar é não ser rebaixado e se der classificar pra 2a fase, porém se não classificar, nada muda no Majestoso. 2) Kleina entendeu sim, porém – profissionalmente falando – dificilmente se reinventará, ele sofre da síndrome de Gabriela: nasceu assim, cresceu assim e morrerá assim. Ele é de uma safra de treinadores acomodados que tem como objetivo montar times apenas pra ficar no meio da tabela, assim a torcida não pega no pé e ele se mantém no cargo. 3) Se o time não der liga – dou aí 3-5 jogos pra isso ocorrer, pra não variar, a diretoria vai evaporar e toda culpa será jogada nas costas do treinador, que será demitido. Virá outro treinador, dirá que a camisa da Ponte “tem história”, “é pesada”, que o elenco é de qualidade e que vai trabalhar pro time alcançar seus objetivos. 4) Quem é eu não se quem é, mas Tiãozinho é que não é.

  2. Já se é sabido de longa data que os times que tiveram os melhores resultados foram aqueles que mantiveram sua comissão técnica por mais tempo, ou seja, para que culpar o técnico se o clube ou agremiação não contrata bons jogadores ou compram os que lhes cabe no orçamento, garantir a Manutenção do técnico é manter uma linha de trabalho, por isso acredito que com Kleina a frente desse time a Ponte Preta pode alcançar patamares mais altos este ano.

Deixe Um Comentário