Análise: a revolução bugrina não virá dos gabinetes e sim das arquibancadas

1
589 views

Guerreiros da Tribo, Furia Independente e Torcida Jovem deram o brado de basta. Textos divulgados nas redes sociais e que demonstraram inconformismo pelo atual quadro vivido pelo Guarani. Pedem a saída de Palmeron, Fumagalli e mudanças radicais na estrutura do futebol profissional.  A atitude é uma ótima noticia. Eu diria estupenda.

A letargia não contaminou por completou o Brinco de Ouro. Existe gente disposta a lutar até o último segundo pela permanência do Alviverde na Série B. O time é fraco, os erros do Conselho de Administração são gigantescos, mas isso não pode fazer a instituição e comunidade considerarem normal o retorno à terceira divisão.

A reação  comprova a mudança de perfil social do Guarani. Torcida Organizada tem um perfil de classes C, D e E como atestam as pesquisas de Mauricio Murad e do total de torcedores apenas 5% estão envolvidos em episódios violentos. Esses devem ser punidos e presos exemplarmente. Os 95% restantes podem e devem se envolver na melhoria institucional de seus clubes. Podemos afirmar com segurança que o modelo aplica-se as três torcidas organizadas, que com perfil popular tem caracteristicas reivindicatórias que, quando utilizados com sabedoria acrescentam e muito.

Muitos afirmam que organizadas são ligadas a dirigentes. OU que são  dependentes de quem está na cadeira presidencial. Pois bem. É o caso de exigir que, estas torcidas organizadas, de modo pacífico e ordeiro pressionem por mudanças.

Este Só Dérbi afirmou por diversas que é contra a criminalização das torcidas organizadas. Porque se existem pessoas com más intenções também é verdadeira a constatação que muitos torcedores pobres encontram neste espaço o único para reafirmar os laços de carinho com seu time.

Os maus elementos podem e devem ser retirados. As pessoas bem intencionadas e conscientes devem ser chamadas a participarem do cotidiano do clube.

A revolução bugrina não vira dos gabinetes e sim das arquibancadas. Alguns grupos já entenderam. Ainda bem.

(Elias Aredes Junior)

1 Comentário

  1. O clube está entregue hj a duas correntes , aparentemente antagônicas, mas que são muito próximas e com dependencia dos mesmos grupos Magnum e Asa, diante disto que mudança está última eleição trará efetivamente , sai Palmeron entra Horlei , e trocar 6 por meia dúzia, mas passivamente os torcedores seguem resignados e esperando um milagre
    Na Ponte a mais de um ano, houve um entendimento que os torcedores da jovem tem entrado no Conselho, com o intuito de poder fazer parte do destino do clube, o Abdalla , diante da cisão com a antiga situação, se aproximou deste grupo que de certa forma da sustentação a ele , este é o papel do torcedor, não so protestar , mas fazer algo propositivo , acho que seria uma solucao para o clube de baixo , ter possibilidade de fazer politica por pessoas que sentam na arquibancada, que vibram e sofrem, não por poder, mas para pode evoluir o carro chefe o futebol

Deixe Um Comentário