Análise: Louzer precisa de respaldo no Guarani. Risco de ser queimado é grande

2
498 views

O Guarani perdeu dois de três jogos da Série A2 mais pelo rendimento individual do que coletivo. Mas já avalia as partidas contra o Água Santa e Batatais, ambas no Brinco de Ouro, como decisivas para Umberto Louzer, que teve duas semanas para equilibrar um time que ele não montou.

Na derrota de Barueri, Baraka subiu para o ataque para fazer uma função que não é a dele e originou o contra-ataque do gol da vitória do Oeste.

Em São Bernardo, em lances semelhantes, Marcílio e Erik comprometeram diretamente na construção dos dois gols do adversário.

Conhecendo os bastidores, somar seis pontos será o único jeito de Louzer não sentir a pressão no Brinco de Ouro. O treinador é um cidadão cheio de boas intenções e conceitos de futebol, mas ainda com pouca experiência de gestão e vestiário.

A cultura diretiva brasileira se baseia no resultado. Uma sequência de derrotas abala qualquer estrutura. Louzer precisará de autonomia da diretoria do Guarani, o que não ocorreu com Ney da Matta, Barbieri e Marcelo Cabo.

Nem mesmo Vadão, que havia recebido a promessa que seria técnico até dezembro, escapou. Realizou uma campanha acima da expectativa e ficou no G4 por 14 rodadas em um time que não caiu por conta de uma vitória a mais do que o adversário. Dirigentes não aguentam tamanha pressão e fecham os olhos e tapam os ouvidos até para grandes nomes na história.

Umberto enfrenta uma gestão que em média troca de treinador a cada dois meses. Se não receber respaldo, dificilmente conseguirá formar um time competitivo. Ou então será mais um na lista dos queimados pelos brilhantes dirigentes.

(análise de Júlio Nascimento/foto: Gabriel Ferrari-GuaraniPress)

2 Comentários

  1. Já tem corneteiro querendo que o cara seja demitido…
    Só olhar no Facebook e ver o tanto de animal pedindo isso…
    Antes fosse cultura só da diretoria fazer isso..
    É cuidado brasileiro
    É principalmente do bugrino..
    Que pelo visto nunca aptendeu com os sucessos…
    Deixa o cara trabalhar que o sucesso vem
    Foi assim.com Vadão, com chamusca…
    Mas já tem idiota que parece saber menos de futebol que a diretoria
    E são esses que a diretoria gosta de ouvir

    • Tozin, depois do que aconteceu com Fernando Diniz, eu não tenho mais dó de técnico não! E o discurso de que eles não tem sequencia, acabou. Para mim, técnico é puta, tal como jogador, não tem palavra.
      O que vale é resultado. Se o técnico não está trazendo resultado, demite!

Deixe Um Comentário