segunda-feira , 21 Maio 2018
Home / Destaque / Diretoria do Guarani estuda alternativas para manter Bruno Brígido após a Série B

Diretoria do Guarani estuda alternativas para manter Bruno Brígido após a Série B

Se há algum jogador no Guarani cuja característica principal é a regularidade, ele tem nome e sobrenome: Bruno Brígido. Emprestado pelo Coritiba até o encerramento da Série B do Campeonato Brasileiro, o goleiro retomou boa fase na carreira com grandes atuações em Campinas, passou confiança à diretoria e às arquibancadas e tornou-se um dos principais jogadores da posição nos últimos anos.

Com baixo poder de competitividade no mercado diante dos clubes com maior investimento, a diretoria bugrina estuda maneiras de mantê-lo no elenco para a próxima temporada, a qual marca o retorno à elite do futebol estadual. Apesar das criticas frequentes sob o sistema defensivo, o camisa 1 passa imune às cobranças. No dérbi diante da Ponte Preta, por exemplo, parou Felippe Cardoso com três defesas espetaculares, brilhou em outras ocasiões e foi incontestável na campanha do título da Série A2.

Por estar em evidência e chamar a atenção de outros times do país, a diretoria traça estratégias para renegociar o vínculo de empréstimo junto ao Coxa. “O Bruno tem importância muito grande dentro do elenco pela liderança, capacidade e por tudo que já fez. Ele, com certeza, terá propostas. O mais importante é que está muito feliz aqui e já demonstrou vontade de permanecer conosco. A recíproca é verdadeira, também temos este interesse e existe essa possibilidade. É questão de tempo, vamos conversar e tentar equalizar para chegarmos a um denominador comum nas propostas”, afirmou Luciano Dias, superintendente de futebol do Guarani, em entrevista ao Só Dérbi.

Em caso de retorno ao clube paranaense em 2019, Brígido brigaria pela posição de segundo goleiro com Rafael Martins, Samuel e Arthur, todos das categorias de base, haja vista o experiente Wilson ser dono da posição.

No Bugre, onde teve seu nome aprovado pelo ex-técnico Fernando Diniz, atuou em 22 partidas, foi vazado em 25 oportunidades e tem concorrência de Rodolfo, Passarelli e Carlão.

(texto e reportagem: Lucas Rossafa/foto: Letícia Martins – Guarani Press)

Veja Também

A escolha do Guarani: trabalho de longo prazo ou a inconsequência da troca de treinador?

O futebol tem memória curta. Tudo é esquecido em segundos. O empate no Serra Dourada ...

3 Comentários

  1. Necessitamos de diretoria que entenda de futebol.

    Necessitamos de um treinador experiente na Série B.

    Opinião de um torcedor.

  2. Necessitamos também de menos corneteiros . Quando o time está vencendo não os vejo dando palpite . Quando perde , aparecem sempre com as mesmas frases, torca o técnico , Diretoria fraca , traz jogador , parece disco de vinil riscado ….

    Técnico experiente nem sempre significa competência . Necessitamos de um planejamento e tempo para a execução do mesmo . Acredito que isto está ocorrendo e o Técnico Humberto , está cumprindo . Todos são passiveis de erro ( até mesmo os técnicos experientes e com competência).

    Opinião de torcedor .

  3. Estou gostando de várias atitudes da diretoria. Desde já, planejando o ano que vem. É isso mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *