Em cinco temporadas, Ponte Preta vira o placar e assume a dianteira do Dérbi Econômico

0
340 views

Apesar de não se encontrarem no gramado há três anos, Ponte Preta e Guarani continuam como rivais em diversos setores da sociedade brasileira e a economia não está imune. Pesquisa de mercado feita pela empresa de consultoria BDO Sports e do qual teve acesso o site Só Dérbi mostra que desde 2011 os resultados no gramado de um e de outro influenciaram no valor de suas marcas no mercado (veja tabela no final deste post).

Se em 2011, ano de seu último acesso obtido na Série A-2, a marca do Guarani valia R$ 24,5 milhões, a da Ponte Preta, que comemorou no mesmo ano a promoção para primeira divisão do brasileirão tinha o valor de R$ 15,7 milhões.

Quatro anos depois, a pesquisa mostra alteração no quadro. Após a temporada de 2015, enquanto a Macaca teve a sua marca avaliada em R$ 35,5 milhões, o Alviverde campineiro terminou o ano com valor de R$ 19,5 milhões. A diferença de valor entre ambos é de 85,86%.

O levantamento, divulgado em dezembro, abrangeu os dois times campineiros e de outros 28 times de expressão do Brasil e está presente em um relatório de 136 paginas e que esteve sob a responsabilidade de Pedro Daniel, gerente responsável pela área de Esporte Total da consultoria BDO.

Para se chegar ao resultado, a empresa de consultoria utilizou critérios com 21 variavéis com dados financeiros históricos dos clubes, informações publicadas em pesquisas com os torcedores, dados de marketing esportivo, hábitos de consumo dos torcedores e dados sociais e econômicos do mercado em que atuam os clubes analisados.

O documento deixa claro que as informações financeiras utilizadas foram extraídas das demonstrações contábeis dos clubes entre 2010 e 2014. Não foram considerados os recursos com transferências de jogadores.

Para chegar a um resultado confiável, as receitas diretamente relacionadas ao cálculo do valor da marca foram consolidadas em quatro macro receitas, que são marketing, estádio, sócios e mídia.

Quanto a influência do torcedor no resultado, o trabalho deixa claro que existiu a compreensão das características do torcedor de cada clube, como seu tamanho, faixa etária, nível de renda, distribuição geográfica e hábitos de consumo. (texto e reportagem: Elias Aredes Junior)

 

Confira a evolução de valor das marcas de Ponte Preta e Guarani no período de 2011 a 2015:

pontepretaguaranitabela

Deixe Um Comentário