Guarani 1 x 1 Ferroviária: falta de inspiração, técnica e qualidade. O empate caiu do céu para o Alviverde!

0
408 views

Com muita disputa nos 90 minutos e produtividade ruim no aspecto técnico e tático, o Guarani não saiu de um empate por 1 a 1 com a Ferroviária, em jogo realizado na noite desta sexta-feira no estádio Brinco de Ouro e válido pelo Campeonato Paulista. O resultado deixou o Alviverde provisoriamente na segunda colocação do Grupo B com 14 pontos. O próximo desafio será na próxima sexta-feira, dia 08 de março, contra o Ituano, na casa do adversário. Na oportunidade, o técnico Osmar Loss terá o retorno de Ricardinho, que cumpriu suspensão.

Técnicos de futebol em algumas oportunidades ficam sem direito de reclamar. Escolhem opções que lhe colocam em situações embaraçosas. Osmar Loss não tomou decisões corretas na escalação. Fernandes como volante apresentou-se disperso e sem a explosão física necessária para realizar uma transição rápida ao campo de ataque. Álvaro estava perdido e sem função e Thiago Ribeiro alternava bons e maus momentos no lado esquerdo. Improvisar Fabricio Bigode tirou do Guarani uma alternativa interessante quando Léo Principe estava no gramado.

A Ferroviária marcava a partir da zona intermediaria e como a recomposição bugrina era falha, não existia uma marcação precisa para retomar a posse de bola.

Isso não bloqueou jogadas previamente ensaiadas ou posicionamentos que salvem o time em instantes delicados. Prova disso que aos 18min, Victor Ramos iniciou a jogada, Diego Cardoso acionou Fernandes que chutou para a defesa do goleiro Tadeu e o rebote foi aproveitado pelo próprio Diego Cardoso: 1 a 0.

Não houve abalo na Ferroviária. Pelo contrário. Continou a insistência pelos lados do campo com a coordenação de Léo Artur e a assistência de Tony. Sem ser acossado pela faixa central, o gol de empate apareceu aos 38min, quando  William Matheus cortou errado, Rodrigão ajeitou de cabeça e Felipe Ferreira bateu na saída de Giovanni!

Vem o segundo tempo e Anselmo Ramon entra no lugar de Álvaro e com isso proporcionar opções tanto no trabalho de pivô como para conclusões dentro da área.

Não deu certo e o que era ruim ficou dramático. A Ferroviária dominava as ações, tinha o controle da posse de bola e de quebra passou a explorar os lados do campo e em uma dessas jogadas chegou a lamentar que o chute de Felipe Ferreira tenha explodido no travessão após a intervenção de Giovanni.

Seria absurdo dizer que não existia falta de iniciativa. Mas a postura ofensiva bugrina era atrapalhada por dois fatores: ausência de viradas de jogo para pegar a defesa adversária desprevenida e lentidão na troca de passes, o que facilitava a recomposição da Ferroviária, que nem se preocupava mais com Thiago Ribeiro, sem fôlego para retomar no campo defensivo.

Não dava para reclamar da sorte, pois aos 35min, após cobrança de escanteio, o atacante Rodrigão meteu a bola no travessão e fez a torcida bugrina respirar aliviada. Ao final do jogo, vaias e uma conclusão: o Guarani tem um time, mas dificilmente encontrará elenco tal a disparidade entre os atletas. (Elias Aredes Junior)

FICHA DO JOGO

GUARANI

Giovanni; Fabricio Costa, Ferreira, Victor Ramos e Willian Matheus; Deivid, Fernandes,,Diego Cardoso (Mateusinho), Thiago Ribeiro e Carlinhos (Rondinelly); Àlvaro(Anselmo Ramon).Técnico: Osmar Loss

FERROVIÁRIA

Tadeu; Alisson, Rayan, Rodrigão e Diogo Mateus; Anderson Uchoa, Tony e Léo Artur; Diego (Jorge Eduardo), Lúcio Flávio (Thiago Santos) e Felipe Ferreira (Maurinho).Técnico: Vinícius Munhoz.

 

Gols: Diego Cardoso aos 18min e Felipe Ferreira aos 38min do primeiro tempo

Público: 2.417

Renda: R$ 35.112,00

Cartões Amarelos: Victor Ramos, Carlinhos, Diego, Diogo Matheus

Juiz: Márcio Henrique de Gois

Local: Estádio Brinco de Ouro, em Campinas

Deixe Um Comentário