Ponte Preta 2 x 1 CSA: sem alarde, a Macaca entra na luta pelo acesso

0
544 views

Apesar do susto inicial, a Ponte Preta fez o suficiente para vencer o CSA de virada por 2 a 1, em jogo realizado na noite desta sexta-feira e válido pela Série B do Campeonato Brasileiro. O resultado levou a Alvinegra aos oito pontos ganhos e provisoriamente está na terceira posição.

Agora, as atenções estão voltadas a Copa do Brasil, quando a classificação tentará ser sacramentada na partida contra o Afogados, na terça-feira, na casa do oponente. Pela Série B, o desafio seguinte será diante do Sampaio Côrrea, sábado, dia 29, fora.

Depois da vitória sobre o Oeste, o técnico João Brigatti cumpriu a promessa e fez novas modificações no time titular. Matheus Peixoto ganhou Zé Roberto como companheiro de ataque enquanto que Neto Moura entrou para fazer parceria de marcação com Luiz Oyama. Mas a opção produziu uma péssima primeira impressão. Logo aos 04min, Nadson levantou na área da Macaca, a defesa parou e o volante Marquinhos apareceu estufou as redes.

Não houve desespero. A alvinegra continuava pressionando pelos lados e Apodi era acionado constantemente enquanto Lazaroni exibia um futebol eficiente.

Só existia um entrave: os atacantes não se movimentavam e não davam alternativa aos armadores João Paulo e Camilo. Eis que o acaso surgiu para ajudar a Macaca aos 22min. João Paulo arriscou do meio da rua e o goleiro Cajuru não segurou.  Frangaço.

Aos poucos, a Alvinegra foi dominando, deu cerco no oponente e criou várias chances e o goleiro alagoano precisou trabalhou.

No intervalo, Cajuru foi retirado e Bruno Grassi entrou para defender o gol do CSA.  Não adiantou.A redenção da Macaca veio no segundo tempo aos 3min, quando João Paulo fez longo lançamento, Apodi dominou no lado direito e cruzou para o complemento certeiro de Matheus Peixoto dentro da pequena área.

O gol tranquilizou a Macaca que passou a abusar do contra-ataque. O expediente era facilitado pela apatia do time alagoano que não encontrava o armador João Paulo que testava o Brno Grassi e forçava boas aparições.  Nos minutos finais, a alvinegra campineira apenas administrou a situação.

A Ponte Preta jogou com: Ivan; Apodi, Luizão, Wellington Carvalho e Guilherme Lazaroni; Neto Moura, Luiz Oyama, João Paulo e Camilo (Yuri); Zé Roberto (Dhawan) e Matheus Peixoto (Moisés). (Elias Aredes Junior)