Ponte Preta sem sorte com “camisas 9”

0
924 views

Responda aí torcedor: o que faz um bom camisa 9? Habilidade? Tem que ter, claro! Velocidade e saber ser referência de área? Também é fundamental! Ser artilheiro? Os gols, ninguém dúvida, são imprescindíveis para os que ousam vestir a camisa 9 que foi consagrada por ídolos como Ronaldo Fenômeno, Careca ou Evair – e cuja referência atual são nomes como Fred (Fluminense) e Ricardo Oliveira (Santos).

Mas, apesar da fórmula simples, é fato que o futebol brasileiro tem demonstrado certa carência no setor. Não à toa, é comum ouvirmos dirigentes de clubes como Corinthians, Palmeiras, São Paulo, Vasco e até mesmo Flamengo reclamando das dificuldades do mercado para encontrar a alguém no perfil camisa 9.

Na Ponte Preta a situação não é diferente. E a busca por um camisa 9 que corresponda a expectativa da torcida se arrasta há diversas temporadas. Contratado como “a bola da vez”  Wellington Paulista trazia currículo, carisma, boa performance em campo e, especialmente, a simpatia da torcida da Macaca. Mas WP9 está devendo no quesito “balançar a rede”. Marcou até agora um só tento.

Bom ponderar que a “culpa” não é toda dele. Basta acompanhar o futebol do time para ver que a bola anda encontrando uma certa “resistência” de chegar ao gol do adversário, dificultando ainda mais a vida do camisa 9 pontepretano. Na derrota para o XV, por exemplo, acho que quase não teve uma oportunidade de chute a gol do atacante.

Aliás, essa história não tem sido diferente nas últimas temporadas. O torcedor da Ponte vai lembrar da pífia participação de Borges em 2015. Chegou no Moisés Lucarelli cheio de moral, pedido da torcida, mas decepcionou feio. Diego Oliveira e Alexandro (que de tanta identidade era chamado de “Macacão”) também decepcionaram no ano passado, especialmente pela oscilação no rendimento.

Em 2013, William “Batoré” poderia ter ressurgido o status da camisa. Marcou em 58 jogos pela Macaca 29 gols, porém o desfecho da temporada foi o rebaixamento para a Série B do Brasileiro.
Por ora, o camisa 9 que preenche de orgulho a memória do torcedor pontepretano permanece sendo Washington, Coração Valente (2000-2002).

Jogo
Só pra lembrar a Ponte Preta entra em campo neste sábado, dia 12/03, diante da Ferroviária, pela 9ª rodada do Campeonato Paulista. Uma vitória deve tirar a Macaca da zona de rebaixamento. Mas não será fácil, a Ferroviária é a líder do grupo B e promete dificultar a vida da mandante.

 

(Análise Adriana Giachini)