O lado positivo e negativo da desistência do volante Alê em defender o Guarani

2
983 views

Em declaração ao jornalista Lucas Rossafa, o volante Alê, ex-Cuiaba, revelou que acertou com o América Mineiro, apesar das negociações com o Guarani terem sido feitas com o superintendente executivo de futebol Michel Douglas. Segundo ele, o fato de residir em Uberlândia pesou em sua decisão em relação a próxima temporada.

A simples descrição do fato demonstra uma noticia ruim e outra boa ao torcedor bugrino. O lado negativo é que ele deve ficar preparado para esses imprevistos. Em um mercado restrito de oferta de jogadores e com pedidas salariais cada vez mais exorbitantes, o aspecto pessoal do jogador pode pesar cada vez mais. Eles detêm o poder ao lado dos empresários. Não é o futebol como sonhamos e sim como ele é.

Em contrapartida, podemos dizer que o executivo bugrino detectou o perfil correto de jogador para vestir a camisa bugrina: com boa atuação na Série B, com vontade de vencer e dentro de uma faixa salarial aceitável. O próprio volante disse que as propostas eram equivalentes. Ou seja, dentro de suas possibilidades – e que são limitadas, diga-se de passagem- o Guarani fez escolhas corretas. Algo que se aplica aos casos de Alisson Farias e Léo Ceará, caso tais contratações sejam fechadas.

É hora de colocar o pé no chão. Mas sem desprezar um mínimo de qualidade.

(Elias Aredes Junior)

2 Comentários

  1. Não entendi. Uberlândia fica mais perto de Campinas que de Belo Horizonte (de carro, 1 hora a menos de viagem). Estou achando que ele simplesmente desprezou o gfc

  2. Não ele queria muito vir para cá. Mais aí o América disse. Aqui vc vai ter queijo fresco , pai de queijo ele pensou e pendeu para lá.mas com dor no coração, mente quem diz
    , que foi por que lá recebe em dia que no final do ano recebe 13 etc.