Quando a Arena Guarani vai virar realidade? Como está o andamento do planejamento? O Só Dérbi conta para você

0
3.964 views

O Guarani faz boa campanha com Felipe Conceição e seria de bom tom colocar o holofote sobre questões relativas ao futuro. Sendo mais direto: um dia a equipe sairá do Brinco de Ouro. Está determinado na sentença da juíza Ana Claudia Torres Vianna de julho de 2015. A  retirada só acontecerá caso esteja pronta uma nova arena com capacidade para 12 mil pessoas e que possa ser ampliada para 25 mil.

Para atualizar o torcedor do Guarani sobre o tema entramos em contato com um componente da Comissão Imobiliária, responsável pelos estudos da construção da nova Arena, CT e Sede Social.

Na conversa com a reportagem do Só Dérbi, o interlocutor assegurou que as conversas com o empresário são realizadas em alto nível e que não ocorreu nenhuma paralisação sobre as tratativas para o erguimento dos equipamentos previstos na sentença da Justiça Trabalhista.

Tanto que consultas foram encaminhadas a Prefeitura de Campinas para checar a viabilidade de utilizar o terreno localizado às margens da Rodovia dos Bandeirantes para a construção do novo estádio.

Isso traria economia nos custos da obra, porque já se dispensaria a necessidade de aquisição de um terreno.

Para a Comissão Imobiliária, uma eventual utilização do terreno hoje pertencente ao Guarani abriria portas para que os recursos economizados fossem canalizados para a melhoria da qualidade da obra, seja em ampliação do número de assentos ou na qualidade da obra. Foi estabelecido como padrão mínimo de qualidade a Arena Fonte Luminosa, em Araraquara. No entanto, a determinação é que se busque uma qualidade melhor.

Quanto ao VGV, todas partes estão em sintonia.

Tanto Roberto Graziano como os integrantes da Comissão Imobiliária, que não tem poder decisório, mas podem encaminhar sugestões ao Conselho Deliberativo e a Assembleia de Sócios- acreditam que quanto maior for o recurso arrecadado do mecanismo melhor será para o empresário, que irá faturar mais. O Guarani também faturaria dividendos, pois teria uma sobra de caixa para a obra. Ou destinaria recursos para quitação de uma parte da dívida tributária.

Algo deve ser  relembrado:  se o VGV não alcançar o valor estipulado pela obra, Roberto Graziano terá que fazer do mesmo jeito. Novo estádio, CT e sede social é a condição estabelecida pela Justiça para a entrega do estádio Brinco de Ouro.

(Texto e reportagem: Elias Aredes Junior- Ps: a imagem que ilustra a matéria é meramente ilustrativa)