Guarani 1 x 2 Brasil (RS): uma derrota para retratar a perda definitiva de rumo

3
1.542 views

Após um primeiro tempo promissor, o Guarani caiu de ponta a cabeça na etapa final e amargou uma derrota de virada para o Brasil de Pelotas por 2 a 1 em jogo realizado nesta terça-feira à noite no estádio Brinco de Ouro e válido pela Série B do Campeonato Brasileiro. Com cinco pontos ganhos e na zona do rebaixamento, o foco será na busca da reabilitação na quinta-feira contra o Atlético-GO, na casa do adversário. Na oportunidade, a equipe não terá Arthur Rezende, suspenso.

Jogo aberto e com duas equipes dispostas a tudo. O campeonato obriga a deixar a cautela de lado. O Guarani tentou empreender forte marcação, mas foi surpreendido pelo adversário, que fazia o cerco logo na saída de bola e isso deixava os zagueiros bugrinos com alto índice de erros, especialmente o beque Xandão. Em contrapartida, Deivid parecia um pouco perdido sem o auxilio de Ricardinho, mais solto para encostar nos armadores bugrinos.

O premio pela ousadia aconteceu de modo rápido. Após troca de passes, Ricardinho arrancou com a bola e entregou para Felipe Amorim, autor de chute rasteiro e seco e que balançou as redes.

A reação do time Xavante foi a de buscar mais ofensividade. A bola era trabalhada pelas laterais e o Guarani tinha dificuldades em bloquear a ofensividade tanto de Bruno Paulo como também de Marcinho, que aproveitavam os passes errados da defesa bugrina. O quadro só não piorou graças as defesas de Giovanni. Em contrapartida, as jogadas ensaiadas de bola parada bugrinas só não foram transformadas em gol graças as intervenções do goleiro Carlos Eduardo.

O fantasma da queda de produção retornou ao Guarani no segundo tempo. Sem inspiração, com marcação frouxa e incapaz de articular uma jogada, a equipe foi envolvida pelo visitante, que tinha em Marcinho e Bruno Paulo seus trunfos principais. E o empate surgiu até de forma natural quando Bruno Paulo levantou e Marcinho ganhou de Ferreira e meteu para as redes.

De imediato, a decisão de Vinicius Eutropio foi de abrir o time de uma vez ao apostar em Deivid Souza no lugar do volante Deivid. A estratégia era impedida por um motivo: os erros de passe do alviverde, o que possibilitava o rebote e ameaças ao gol defendido por Giovanni. Para piorar o quadro, Arthur Rezende cometeu falta violenta e foi expulso.

Nos minutos finais, o Guarani não teve ímpeto para pressionar o oponente e ainda tomou o gol da virada aos 44min: Bruno Paulo dominou pelo lado esquerdo e cruzou para o interior da pequena área: Juba dividiu com Xandão e viu a bola entrar para dar números finais à partida.

(Elias Aredes Junior)

3 Comentários

  1. Tragédia anunciada…..Um dos piores elenco que o Guarani já teve….consequência: últimas posições do Campeonato…..
    Com a palavra, os falastrões…..o primeiro óbvio o treinador que quando chegou disse que o elenco era muito bom, precisando de um ou outro reforço….
    É fácil, só mudar o discurso, dizer agora que o elenco é limitado e que precisa de reforços……
    infelizmente repito, estamos dando passos largos de volta a série C……

  2. Sr. Palmeron não pode alegar que não foi alertado sobre o altíssimo risco de contratar o Eutrópio.

    Na reunião de hoje a tarde cabe aos membros do CA tomarem uma decisão: ou aumentam a dose confiança no treinador acreditando que ele vá se recuperar ou trocam de treinador e mais uma rescisão será paga. Se o demitirem, a conta a ser paga é do Palmeron.

    Mas, se decidirem manter Eutrópio no cargo, cabe aos membros do CA chegarem junto ao treinador e o diretor Fumagalli emparedá-los pra entender o porquê que aquilo que o treinador diz nas entrevistas não tá ecoando nos jogadores dentro do campo, quais os motivos e corrigi-los?

    Pra piorar, em recente entrevista Eutrópio disse que não estava preocupado com a zona do rebaixamento – deveria estar e muito! – e que o time apresentava “futebol agradável aos torcedores”, essas declarações certamente entrarão para os melhores piores momentos dos treinadores do Guarani.

    O futebol apresentado é tão agradável que em 60 dias de trabalho foram 6 jogos e 1 vitória, sem contar os amistosos, que por hora vamos deixar fora pra não piorar as estatísticas. Em nenhuma partida o time apresentou futebol convincente. Ok, o elenco não ajuda, mas podia ser melhor sim.

    Acho que a passagem do Eutrópio no Guarani se encerra em breve, como previsto….

  3. Marcinho ganhou do Inácio, que só sabe atacar, e não do Ferreira, o Ferreira devia estar dormindo em outro lugar.

    Deivid não pode jogar futebol profissional, muito menos Deivid Souza, dois inúteis em campo…
    Xandao e Ferreira já deu!