Ponte Preta 2 x 3 Náutico: diante da torcida, uma derrota doída que deixa o time ameaçado pela Série C

0
382 views

As falhas defensivas prevaleceram e a Ponte Preta perdeu de virada para o Náutico por 3 a 2, em jogo realizado na tarde deste sábado no estádio Moisés Lucarelli e válido pela Série B do Campeonato Brasileiro. O resultado deixou a Macaca com 34 pontos e próxima da zona do rebaixamento. A tentativa de reabilitação será buscada no domingo, dia 24, contra o Remo, na casa do adversário.

O jogo com torcida produziu uma atmosfera diferente. Incentivado pela torcida, a Macaca lançou-se ao ataque e produziu oportunidades sequenciais. O Náutico, no entanto, tinha as suas armas. Jean Carlos levava perigo, assim como Djavan autor de chute perigoso. Na bola parada, os dois times tinham seus trunfos, tanto que o zagueiro Rafael Ribeiro meteu uma bola no travessão e prendeu a respiração o torcedor pontepretano.

Mas a sorte estava do lado da Macaca, que inaugurou o placar aos 32min. Camutanga cortou cruzamento de Rafael Santos nos pés de Marcos Júnior. O camisa 15 dominou na entrada da área e bateu rasteiro, sem chance para Anderson. Nem deu para comemorar. Aos 39min, Hereda cruzou na direção na área, o rebote aconteceu, o volante Marcos Junior perdeu pelo alto e André Luiz furou a bola, que chegou nos pés de Caio Dantas, que deixou tudo igual.

Após o baque inicial, a pressão foi retomada e aos 46min, a vantagem foi retomada. Rafael Santos bateu escanteio e Rodrigão meteu a cabeça e balançou as redes.

Veio o segundo tempo e a defesa pontepretana voltou a falhar. Aos 05min, o lançamento longo foi executado, Fábio Sanches estava adiantado e não deu o bote; Jacob Murillo desvencilhou-se da marcação de Kevin e tocou na saída do goleiro Ivan.

O Timbu ganhou ânimo e virou o placar aos 20min. Jean Carlo bateu escanteio, Fábio Sanches e Kevin não chegaram na bola e Rafael Ribeiro surgiu para cabecear e fazer o terceiro.

Apesar da volúpia e da pressão nos minutos, a derrota foi consumada e deixa a Macaca preocupada com o futuro.

(Elias Aredes Junior-Com foto de Álvaro Junior-Ponte Press)