Análise Especial: Ponte Preta, presença no Z4 e a verdade tóxica que destrói o futebol profissional

0
481 views

A Ponte Preta perdeu de virada para o Sport, por 2 a 1 e está na zona do rebaixamento. Uma posição que, apesar de momentânea, machuca e dilacera o coração do torcedor pontepretano.

Se já não bastasse o pesadelo de cair no Paulistão e disputar a Série A-2 em 2023, agora a tortura é por vislumbrar a possibilidade de disputar a terceirona nacional. Seria um terremoto na autoestima de quem senta nas arquibancadas. Inadmissivel. Imperdoável. A responsabilidade? Do grupo político Movimento Renascer Pontepretano e em uma instância maior de Marco Antonio Eberlin, o presidente da Macaca.

E esse filme de terror é explicado por um combate travado dentro do ambiente pontepretano. É o duelo da unidade contra a verdade.

Explico. Clubes que pautam a sua vida pela unidade sabem que a coletividade é feita de divergências e embates de ideias. Que existe algo maior e urgente, que é o bem estar da agremiação.

Ou seja, posso até discordar de quem está no poder, mas faço de tudo para viabilizar algo melhor. E se possivel deixar algum legado. É o aspecto positivo da democracia quando ela fica introjetada dentro da instituição.

Duro é saber que a verdade pode colocar tudo a perder. Sim, é isso que você leu. Porque no dicionário está escrito que uma das definições de verdade é de que é um pensamento, um ponto de vista tidos como verídicos. Ou seja, eu acredito que o meu caminho é o correto. Ponto final.

Quem adota esta definição da palavra impõe a sua verdade ao semelhante, mesmo que ele não concorde ou não. Adota seus critérios como conceitos absolutos e não abre espaço para discussão ou troca de ideias. Se você não aceitar o veridito é único: está fora. Não serve.

Na atual Ponte Preta verifica-se isto quando se abre mão do executivo de futebol e os critérios adotados nas contratações são direcionados muitas pessoas para um perfil de jogador. Existe uma verdade dentro da Ponte Preta. E é ela que deve prevalecer no futebol. Sem espaço para divergência.

Consequência prática: se nada acontece dentro do esperado, o isolamento ocorre cedo ou tarde. E o que era verdade transforma-se em um peso para quem está ao redor. E por que? Porque bloqueia o diálogo e a busca do senso comum. Ou da unidade.

A Diretoria Executiva da Ponte Preta deveria deixar as suas verdades de lado e buscar a unidade. Sem isso, a Série C é logo ali.

(Elias Aredes Junior)